Entrevista

Calleri: “Todo jogador gostaria de atuar com um técnico como Crespo”

Diego Yudcovsky
Em entrevista exclusiva, Calleri fala sobre o desejo de voltar ao São Paulo.
Em entrevista exclusiva, Calleri fala sobre o desejo de voltar ao São Paulo.
facebooktwitterreddit

Hoje defendendo o Osasuna, da Espanha, o argentino Jonathan Calleri não se esquece do melhor momento de sua carreira até então: “O São Paulo foi o clube onde fui mais feliz e desfrutei do futebol. Quero voltar um dia”, afirma o atacante em entrevista ao 90min.

Ele teve uma curta passagem pelo time tricolor em 2016, após sair do Boca Juniors. O suficiente para marcar seu nome na memória do torcedor são-paulino. “Seis meses que passaram voando. Foi onde eu me senti melhor”, diz o argentino ao recordar sua trajetória no Morumbi. “A torcida gostava de mim. A bola batia no meu joelho e entrava no ângulo. O jogador tem esses momentos na carreira, de contar com uma dose de sorte.”

Calleri ainda lembra da campanha na Copa Libertadores, em que anotou nove de seus 16 gols com a camisa tricolor. “Não tínhamos uma grande equipe, mas chegamos à semifinal. Enfrentamos o Atlético Nacional na semifinal, que acabou saindo campeão. Perdemos em casa faltando cinco minutos para o fim: 2 a 0 e ainda expulsaram um jogador nosso. Ao final, foram seis meses espetaculares, que me deram a oportunidade de jogar no futebol europeu.”

Mesmo morando em Pamplona, o atacante segue atento às movimentações no time paulista. Comemorou a chegada do compatriota Hernán Crespo ao comando da equipe e vê com bons olhos as perspectivas para o clube sob sua batuta. “Acompanhei o Crespo com o Defensa y Justicia na Sul-Americana. Sua forma de enxergar o futebol encaixou muito bem na equipe. O que ele transmite como grande 9 que foi fez com que os jogadores do Defensa se vissem refletidos em sua figura. Creio que ele também vai fazer muito bem ao São Paulo.”

"O São Paulo é um dos maiores clubes do Brasil, o que ganhou mais coisas importantes. Tem três Mundiais e três Libertadores. Quando encontra um técnico como Crespo, penso que podem alcançar grandes conquistas"

Questionado se gostaria de trabalhar com o ex-centroavante, Calleri não hesita. “Todo jogador gostaria de atuar com um grande técnico [como Crespo]”, diz o atacante. “É uma figura importante no futebol e pode oferecer muito aos jogadores que estão no clube. Arrancou com o pé direito ganhando o clássico contra o Santos por 4 a 0 [pelo Campeonato Paulista]. O Brasileirão é longo, muito longo. A temporada acaba sendo muito extensa. Mas o São Paulo é um dos maiores clubes do Brasil, o que ganhou mais coisas importantes. Tem três Mundiais e três Libertadores. Quando encontra um técnico como ele, que pode reproduzir tudo o que sabe no campo, penso que podem alcançar grandes conquistas.”

O novo treinador seria um motivo a mais para regressar ao São Paulo? “Obviamente que, se você é feliz num lugar, sempre vai querer voltar.” Apesar do desejo, Calleri sabe que o retorno imediato ao clube tricolor é improvável, já que uma negociação depende dos detentores de seus direitos econômicos, que buscam compensar o alto investimento (12 milhões de dólares) para tirá-lo da Bombonera.

"Vivo um dos meus melhores anos na Europa. Espero que agora eu possa me estabelecer e jogar dois ou três anos num mesmo clube"

Ano a ano vou trocando de time e isso me prejudica”, lamenta o argentino. “Um pouco por minha culpa, porque, quando saí do Boca, fechei com um grupo de empresários [Deportivo Maldonado] e sabia que isso poderia acontecer. Se voltasse no tempo, teria aceitado a proposta de um clube europeu por cinco anos [de contrato].”

Recentemente, o São Paulo chegou a sondá-lo. Porém, considerou seu salário [em euros] fora da realidade do clube. Enquanto a volta ao Morumbi parece distante, Calleri traça como objetivo se consolidar no futebol europeu a partir de um contrato mais longo.

Jonathan Calleri Osasuna
Calleri em ação pelo Osasuna diante do Barcelona. / Juan Manuel Serrano Arce/Getty Images

Titular da equipe espanhola, que ocupa a 13ª colocação em La Liga, ele soma quatro gols na atual edição do torneio. “Osasuna é a minha quarta equipe na Espanha. Vivo um dos meus melhores anos por aqui. Espero que agora eu possa me estabelecer e jogar dois ou três anos num mesmo clube.”

Por fim, Calleri sonha cumprir a última meta que lhe falta na carreira. “Joguei na primeira divisão argentina e na Europa. O único sonho que me falta realizar é vestir a camisa da seleção.”

Confira aqui a íntegra da entrevista, em espanhol.

facebooktwitterreddit