Opinião

RB Bragantino atinge ponto crítico, mas ainda é cedo para discutir a demissão de Barbieri

Lucas Humberto
Embora tenha atingido o ponto crítico cedo demais na temporada, ainda há tempo de recuperação para o Massa Bruta
Embora tenha atingido o ponto crítico cedo demais na temporada, ainda há tempo de recuperação para o Massa Bruta / JUAN MABROMATA/GettyImages
facebooktwitterreddit

Depois de passar a última temporada quase inteira entre os melhores clubes do futebol brasileiro, o Red Bull Bragantino parece não ter entrado em 2022. Na Copa Libertadores, a eliminação parecia inevitável, afinal, o nível dos adversários era superior. Ainda assim, o modo como aconteceu não deixou de ser cruel: apenas uma vitória em seis partidas, cinco gols anotados e nove sofridos.

Red Bull Bragantino Internacional Maurício Barbieri
Equipe de Bragança teve campanha pífia na Libertadores / DANTE FERNANDEZ/GettyImages

Em seguida veio a queda na Copa do Brasil, esta certamente mais dolorosa. Em casa, o Massa Bruta sucumbiu ao Goiás nos pênaltis. A última vitória do clube de Bragança Paulista aconteceu no longínquo dia 30 de abril, quando Ytalo anotou o gol solitário do triunfo contra o Ceará, válido pelo Brasileirão. Isso há mais um de mês.

Desde então, a equipe disputou nove compromissos, incluindo confrontos do Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores. Foram três empates e seis derrotas. Chama atenção o baixo aproveitamento ofensivo: somente quatro tentos anotados contra 13 sofridos. Neste domingo (5), mais um revés: 2 a 0 ante o Internacional, com os dois tentos sendo marcados nos acréscimos do segundo tempo.

Quem estava presente no Nabizão se decepcionou de novo. E a pressão sob Maurício Barbieri aumentou. Talvez se a cobrança por títulos fosse maior, o técnico já teria sido demitido. Por enquanto, ele resiste. As questões centrais, no entanto, permanece: está na hora de considerar a troca de comando? Teria o frutífero ciclo chegado ao fim?

Com somente nova rodadas disputadas, não há muita distância na tabela da Série A. Apenas quatro pontos separam o Massa Bruta do Coritiba - clube que abre o G4 -, por exemplo. No atual estágio da temporada, basta uma leva de partidas para mudar toda a configuração da elite. Barbieri merece a chance de tentar tirar o Bragantino do buraco.

Desde que, claro, ele entenda que a situação chegou ao ponto mais crítico possível. A mesma lógica da distância para o G4 pode ser aplicada para o Z4. Só que ainda menor: apenas um ponto separa o time do interior de São Paulo do Goiás, a equipe responsável por abrir a zona do rebaixamento. Daqui não pode piorar mais. E é bom que a torcida deixe isso bem evidente.

Maurício Barbieri Red Bull Bragantino Internacional
Barbieri não está conseguindo conduzir um bom trabalho em 2022 / JUAN MABROMATA/GettyImages
facebooktwitterreddit