Opinião

Hugo Souza ainda não tem (e talvez nunca terá) condições de ser titular do Flamengo

Antonio Mota
Falhas, evolução travada e falta de segurança: Hugo precisa de ao menos um 'tempo de molho' no Flamengo.
Falhas, evolução travada e falta de segurança: Hugo precisa de ao menos um 'tempo de molho' no Flamengo. / Marcelo De Melo/Agência F8/Gazeta Press
facebooktwitterreddit

O Flamengo tropeçou em mais uma partida do Campeonato Brasileiro neste final de semana. Longe do Rio de Janeiro, o Rubro-Negro enfrentou e empatou com o Ceará por 2 a 2, na Arena Castelão, pela sexta rodada. Com o resultado, o clube somou apenas um ponto, chegando a seis, e estagnou na “zona da confusão” da Série A. E mais uma vez, o jovem goleiro Hugo Souza, o Neneca, foi um dos personagens negativos de uma partida da equipe.

Aposta de Paulo Sousa, o camisa 45 não passou confiança em nenhum momento do embate contra o Vozão, assim como não o fez em outros jogos, e não conseguiu fazer a diferença em momentos-chave do confronto: poderia ter feito mais no lance do gol de Stiven Mendoza, mesmo que o erro maior tenha sido coletivo, e falhou de forma juvenil no tento de empate do adversário do Fla. Mais uma péssima atuação do arqueiro.

Hugo Souza Flamengo Campeonato Brasileiro Ceará Futebol
Hugo vem cometendo muitos erros na meta do Flamengo. / Buda Mendes/GettyImages

Aos 23 anos, Hugo surgiu no Flamengo como um candidato à estrela, mas pouco a pouco foi caindo de rendimento e perdendo créditos com torcedores e demais observadores – propostas do exterior também sumiram. Ele também se envolveu em polêmicas fora das quatro linhas. Internamente, o goleiro continua tendo o apoio de Paulo Sousa, mas este não é o panorama geral, sobretudo nesta que se mostra como a pior temporada da sua curta carreira.

Hugo estreou no profissional do Flamengo em setembro de 2020, contra o Palmeiras, no Allianz Parque, em jogo do Campeonato Brasileiro. Desde então, tudo mudou em sua vida. Ele assinou novo vínculo com o clube, transformou sua realidade e viveu altos e baixos: foi titular, reserva imediato e até terceira opção. Agora, sem os lesionados Santos e Diego Alves, é novamente o dono da meta, mas ainda não convence e é aí que mora o maior problema.  

Hugo já recebeu diversas oportunidades no Flamengo, principalmente nesta ‘era Paulo Sousa’, mas ainda não conseguiu apresentar em sequência o nível que o levou a ser destaque nas categorias de base. No profissional, Neneca somou mais decepções do que glórias e não evoluiu como o esperado. É hora de o Rubro-Negro repensar a condição do goleiro, que, até aqui, não mostrou ter (ou se terá) condições de um dia ser titular da equipe.   

facebooktwitterreddit