Copa Libertadores

Corinthians opta por reservas, só empata com o Always Ready e vai às oitavas da Libertadores como segundo do grupo

Fabio Utz
Timão não conseguiu superar os bolivianos em casa
Timão não conseguiu superar os bolivianos em casa / NELSON ALMEIDA/GettyImages
facebooktwitterreddit

Entrar com um time alternativo para enfrentar os reservas de um rival eliminado. Soberba? Autossuficiência? Convicção de que não haveria apuro algum? Pois então...talvez de tudo um pouco. O Corinthians, é fato, se classificou para as oitavas de final da Libertadores - seria um fiasco se não avançasse, vamos combinar -, mas não foi tão fácil assim.

E possivelmente não tenha sido tão fácil por conta da opção do próprio Timão, que foi a campo na Neo Química Arena para enfrentar o Always Ready, da Bolívia, precisando apenas de um ponto para confirmar a vaga e, sem sua força máxima desde o início, não conseguiu se sobrepor. O empate em 1 a 1 deixou o clube na segunda colocação do Grupo E, sendo que o resultado paralelo (Boca Juniors-ARG 1 x 0 Deportivo ali-COL) abriu a chance para que, com uma vitória simples, os brasileiros terminassem a fase na ponta da chave.

Gustavo Silva Adrian Martinez Corinthians Always Ready Libertadores
Timão sofreu mesmo atuando em casa nesta quinta-feira / Ricardo Moreira/GettyImages

O início da partida até que foi promissor, tanto que o time não demorou para abrir o placar. Logo aos 19 minutos, Adson, o mesmo que havia garantido a igualdade no clássico do final de semana, frente ao São Paulo, se aproveitou de bela assistência de Giuliano para estufar a rede. Porém, uma saída de bola totalmente atrapalhada de Robson Bambu, aos 44, possibilitou que Jonathan Borja deixasse tudo igual.

Na etapa final, sem força ofensiva, o Corinthians, por mais incrível que possa parecer, precisou se utilizar de nomes como Jô, Renato Augusto e Willian, que estavam no banco, para tentar algo melhor. O último, aliás, até chegou a acertar a trave de Galarza, mas não passou disso - Bambu ainda carimbaria o travessão na tentativa de se redimir. Não demorou muito, também, para a torcida pedir por Róger Guedes, desafeto do técnico Vítor Pereira. O atacante virou opção em seguida. Só que nem ele resolveu, apesar do abafa no final e de o goleiro rival aparecer com destaque. O clube está classificado, é verdade, mas ninguém, antes de a Libertadores começar, poderia acreditar que apenas um ponto em seis possíveis seria somado frente ao rival boliviano. Obviamente, vieram as vaias.

Para mais notícias do Corinthians, clique aqui.

facebooktwitterreddit