Copa América Feminina

A seleção ideal da Copa América Feminina

Nathália Almeida
Campeã do torneio, Seleção Brasileira dominou a seleção ideal
Campeã do torneio, Seleção Brasileira dominou a seleção ideal / RAUL ARBOLEDA/GettyImages
facebooktwitterreddit

Confirmando seu amplo favoritismo, a Seleção Brasileira foi até a Colômbia e conquistou seu oitavo título de Copa América Feminina, com uma campanha irretocável nos números e sólida nas performances, com exceção à grande final, onde não foi bem apesar da vitória por 1 a 0 diante das anfitriãs.

Encerrada a maior competição de seleções do futebol feminino sul-americano, chegou a hora de apontarmos quem brilhou nestas pouco mais de três semanas de bola rolando em solo colombiano. Como não poderia ser diferente, o Brasil emplacou o maior número de representantes na nossa seleção ideal da Copa América. Confira:


1. Lorena (Brasil)

Lorena
Lorena fez uma grande Copa América / Gabriel Aponte/GettyImages

Titular em todos os jogos da Canarinho na vitoriosa campanha, Lorena foi a única goleira a não ser vazada no torneio. Teve atuações muito corretas, passando enorme segurança para o torcedor brasileiro.

2. Antônia (Brasil)

Antonia Ronnycleide
Antônia foi gigante, especialmente no mata-mata / Quality Sport Images/GettyImages

Guarde esse nome. Antônia veio para ficar nesta seleção de Pia Sundhage, e parece ter conquistado de vez a titularidade na lateral-direita do Brasil. Foi uma verdadeira "leoa" no mata-mata, se destacando muito na marcação e na combatividade contra Paraguai e Colômbia. Ainda deu 3 assistências.

3. Daniela Arias (Colômbia)

Daniela Arias
Arias fez uma grande competição / Gabriel Aponte/GettyImages

Apesar de ter abusado da violência na grande final, Arias merece destaque por sua entrega e desempenho nesta Copa América. A Colômbia foi a segunda equipe menos vazada do torneio, e isso pode ser explicado pelo alto nível de sua camisa 3. Ela ainda brilhou no ataque, com dois gols.

4. Rafaelle (Brasil)

Rafaelle
Rafa, capitã do Brasil, esteve segura em todos os jogos que disputou / Gabriel Aponte/GettyImages

Segurança e tranquilidade são as características principais da capitã do Brasil, que mais uma vez sobrou em um campeonato com a camisa verde e amarela. Tecnicamente, é uma das zagueiras mais completas do mundo hoje.

5. Manuela Vanegas (Colômbia)

Manuela Vanegas
Manuela Vanegas foi bastante elogiada pela torcida colombiana / Gabriel Aponte/GettyImages

Apesar de ter cometido o pênalti sobre Debinha que decidiu a final da Copa América, a lateral-esquerda colombiana foi um dos pontos altos de sua equipe no torneio, se destacando especialmente no apoio. Entre jogadas agudas e assistências, colaborou muito na campanha do vice das Cafeteras.

6. Angelina (Brasil)

Angelina
Angelina fez um grande torneio, até se machucar na final / Gabriel Aponte/GettyImages

Até se lesionar na grande decisão - em uma fatalidade que deve afastá-la dos gramados por longos meses -, Angelina vinha sendo o grande nome do meio de campo brasileiro. Com presença, inteligência e maturidade, trouxe equilíbrio para o setor mais "frágil" da Canarinho neste torneio.

7. Leicy Santos (Colômbia)

Leicy Santos
Leicy Santos foi a principal articuladora da competição / Gabriel Aponte/GettyImages

A pequena e insinuante camisa 10 da Colômbia foi, com sobras, a grande articuladora deste campeonato. Com passes decisivos e muita criatividade, brilhou nas assistências e na preparação das jogadas agudas de sua equipe. Grande torneio da armadora das Cafeteras.

8. Linda Caicedo (Colômbia)

Linda Caicedo
Linda Caicedo foi a revelação e a MVP do torneio, eleita pela Conmebol / Gabriel Aponte/GettyImages

Eleita pela Conmebol como a melhor jogadora do torneio, Linda Caicedo foi muito bem na fase de grupos, decidiu a semifinal contra a Argentina e foi a principal arma de sua equipe na final contra o Brasil, causando enormes problemas à nossa defesa. Tem um futuro brilhante e recurso técnico para ser uma das melhores do mundo em breve.

9. Debinha (Brasil)

Debinha
Debinha foi a artilheira do Brasil no torneio / Gabriel Aponte/GettyImages

Principal artilheira do Brasil no torneio com cinco gols marcados, Debinha foi a melhor atacante do Brasil na decisão contra a Colômbia e a jogadora que mais incomodou as Cafeteras em uma final nervosa e muito abaixo da Canarinho. Chamou a responsabilidade e decidiu.

10. Bia Zaneratto (Brasil)

Bia Zaneratto
Zaneratto teve números formidáveis no torneio / Gabriel Aponte/GettyImages

Apesar de não ter conseguido escapar da forte marcação colombiana na final, Zaneratto teve um torneio bastante regular e nivelado por cima, com números muito bons: 4 gols e 3 assistências, sendo a jogadora do Brasil com mais participações diretas para tentos verde e amarelos.

11. Yamila Rodríguez (Argentina)

Yamila Tamara Rodriguez
Yamila Rodríguez foi a grande artilheira do campeonato / Gabriel Aponte/GettyImages

Se a Argentina está na Copa do Mundo 2023, deve agradecer diretamente à atacante do Boca Juniors, que só não fez chover na Colômbia. Artilheira do torneio com seis gols, a veloz e habilidosa jogadora foi o nome da vitória por 3 a 1 sobre o Paraguai, na disputa pelo terceiro lugar. Sobrou!

facebooktwitterreddit