Opinião

Sylvinho, muito obrigado! O Corinthians não pode mais ser laboratório de testes

Lucas Humberto
Derrota no clássico alvinegro marcou o último ato de Sylvinho na área técnica do Corinthians
Derrota no clássico alvinegro marcou o último ato de Sylvinho na área técnica do Corinthians / Ricardo Moreira/GettyImages
facebooktwitterreddit

O ciclo do técnico Sylvinho no Corinthians chegou ao fim. Na verdade, isso aconteceu assim que o Brasileirão 2021 acabou. Pena que esqueceram de avisar. Ele, no entanto, não merece vaias ou xingamentos. Apesar da irregularidade e pouca evolução que marcou todo seu trabalho, o técnico fez o que podia com o conhecimento que tinha.

Aos 47 anos, o jovem comandante - e corintiano até o último fio de cabelo grisalho, diga-se de passagem - nunca entregou menos que prometeu. Acontece que, entre as convicções de Syvlinho e as expectativas da Fiel e dos cartolas alvinegros, há um traiçoeiro mar de desconfianças. Corinthians, em toda sua grandeza, não pode ser utilizado como laboratório de testes.

A diretoria, aliás, perdeu uma grande chance de ser mais certeira. Duílio Monteiro Alves, que merece múltiplos elogios, falhou ao manter um técnico que esteve na corda bamba desde que pisou os pés no Parque São Jorge. Com isso, a pré-temporada inteira foi embora. Ainda bem que há muito chão entre Brasileiro e Libertadores.

"Corrigir a rota" com o carro em movimento será bem mais complicado. As opções viáveis não são tão numerosas assim. Jorge Jesus desponta como alvo principal de uma torcida que não recebe um treinador decente desde a despedida de Fábio Carille. Experiência, conhecimento e variação não faltam ao Mister. Mas será que vale a pena o investimento?

A priori, o português tem tudo para ser uma das opções mais caras do mercado. Desperdício ou investimento? A ida corintiana ao mercado não esconde a sede por títulos. De 2021 em diante chegaram cinco reforços de peso. Investimento não falta.

Desperdício será montar um elenco tão qualificado e não conquistar nada por receio do gasto mais prudente a ser feito. Em termos de mercado, o Timão precisa muito mais de um técnico do que do aguardado camisa 9.

Jorge Jesus Corinthians Benfica Sylvinho
Livre no mercado, Jorge Jesus está entre as principais opções do Corinthians / Carlos Rodrigues/GettyImages
facebooktwitterreddit