Ronald Koeman ainda não pode comandar o Barcelona em partidas oficiais; entenda

Antonio Mota
Recém-contratado, Ronald Koeman ainda não pode comandar o Barcelona em partidas oficiais. Clube precisa fechar acordo com ex-treinador Setién.
Recém-contratado, Ronald Koeman ainda não pode comandar o Barcelona em partidas oficiais. Clube precisa fechar acordo com ex-treinador Setién. / Quality Sport Images/Getty Images
facebooktwitterreddit

O holandês Ronald Koeman ainda não pode comandar o Barcelona em partidas oficiais. Isto porque, segundo informações do diário espanhol COPE, o clube culé ainda não chegou a um acordo pela rescisão contratual com o seu ex-treinador Quique Setién e por isso não pode registrar um novo técnico.  

Isto é, embora o Barça tenha demitido o comandante catalão publicamente e, de fato, tenha o desligado do comando técnico da equipe, ainda há questões burocráticas para serem resolvidas: o time precisa entrar em um acordo pelo rompimento unilateral do contrato – Setién tinha contrato até junho de 2022.

Setién não tem 'facilitado' para o Barcelona.
Setién não tem 'facilitado' para o Barcelona. / Francesco Pecoraro/Getty Images

Em sua publicação, o jornal diz ainda que Setién não aceitou nenhuma das ofertas do Barcelona e que quer receber um ano inteiro de salário para se desvincular do clube. Porém, o time reluta em arcar com todo esse valor – lembrando que nos últimos meses a equipe já pagou pelo rompimento com Ernesto Valverde e também a taxa para Koeman deixar a Seleção Holandesa.

Com isso, aos olhos da Federação Espanhola de Futebol, Setién ainda é tecnicamente o treinador do Barcelona e assim não pode registrar Ronald Koeman. Além disso, sem um acordo com o catalão, o clube também não pode inscrever novos jogadores no plantel.

Outro tramite em curso...

Para além dos problemas para resolver com quem “já foi”, como Quique Setién, o Barcelona também precisa lidar com quem pode sair, como é o caso de seu presidente Josep Maria Bartomeu, que tem seu futuro ameaçado no Camp Nou. Sem respaldo na Catalunha, o dirigente vê o movimento Més Que Una Moció articular uma votação para o seu impeachment. Por ora, os articuladores conseguiram 90% dos votos necessários e, caso consigam os outros 10%, vão conseguir um pleito formal para decidir se o cartola segue ou não no clube até as eleições do ano que vem.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.

facebooktwitterreddit