Vasco da Gama

Presidente do Vasco fala sobre modelo SAF e diz que tamanho do clube ‘desperta o interesse do mercado’

Antonio Mota
Jorge Salgado vê com bons olhos a transformação do Vasco em clube-empresa
Jorge Salgado vê com bons olhos a transformação do Vasco em clube-empresa / Mauricio Almeida/Am Press & Images/Gazeta Press
facebooktwitterreddit

Representante máximo do Vasco da Gama na atualidade, o presidente Jorge Salgado concedeu uma entrevista ao “ge” sobre um assunto que tomou conta dos bastidores de São Januário nos últimos dois meses: o modelo de gestão SAF (Sociedade Anônima do Futebol). Tempos atrás, o tema não era sequer cogitado na equipe, mas isso mudou e hoje a questão se tornou pauta fixa nos corredores de poder da equipe.

Internamente, em meio à severa crise financeira e política que se instaurou há décadas na equipe, Salgado trabalha para aprovar a SAF no tradicional clube do Rio de Janeiro. O projeto, aliás, é visto como uma possível salvação para o time, esse que corre contra o tempo para acelerar essa “transformação”.  

Vasco SAF São Januario
Estádio de São Januário é um dos patrimônios do Vasco / Buda Mendes/GettyImages

Próximos passos

Com uma força-tarefa montada, ainda conforme o “ge”, o Vasco quer concluir em breve o estatuto da SAF. Em seguida, o time vai levar o documento para votação no Conselho Deliberativo, numa espécie de primeiro passo antes de avançar para negociações com investidores, na definição de modelo e na apresentação do projeto para os sócios, que, no fim, bateriam o martelo.  

Ao “ge”, Jorge Salgado respondeu algumas perguntas (de forma escrita) sobre o projeto da SAF e explicou que existem outros caminhos, mas que esses seriam mais demorados e exigiriam mais sacrifícios. “O crescimento orgânico da associação desportiva é possível, mais exigirá mais tempo e mais sacrifícios. Uma recuperação judicial tornaria o cenário ainda mais difícil e incerto”, iniciou.

"Acreditamos que a SAF é o meio mais rápido e eficaz, proporcionando em paralelo a recuperação financeira do clube e investimentos para fazer que nosso futebol volte a ser protagonista no cenário nacional e internacional. Porém quem vai decidir são os Poderes do Clube e, em última instância, os sócios reunidos em Assembleia Geral."

Jorge Salgado, presidente do Vasco

O presidente também comentou sobre a mudança de discurso em São Januário. No final do ano passado, o VP de Finanças, Adriano Mendes, falou que o clube estava trabalhando em uma recuperação financeira definitiva e até que o Alvinegro já seria uma equipe lucrativa. O que mudou nas avaliações?

“O Vasco trabalhava com uma recuperação financeira orgânica antes da aprovação da Lei da SAF em setembro passado. Todo o esforço foi feito nessa direção. Com a aprovação da SAF e com um cenário interno e externo cada vez mais desafiador, avançamos em estudos que demonstraram que o uso da lei é a melhor fórmula para a recuperação financeira do clube”, explicou Salgado.

Por fim, o presidente do Vasco também falou sobre os pedidos para sua renúncia e revelou como pretende contornar a situação e conseguiu a aprovação da SAF. Ele pregou por transparência interna e externamente, informando que a oposição participa do grupo de acompanhamento dos estudos da SAF e que existe um programa na VascoTV explicando o processo para os torcedores.

“Não tenho dúvidas de que, concluídas todas as etapas de estudos e comunicação do projeto SAF, com uma boa proposta na mesa, conseguiremos a aprovação”, salientou, falando ainda que “não existe nenhum acordo fechado", mas que o “tamanho do Vasco desperta o interesse do mercado e já recebemos diversas sondagens”.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.

facebooktwitterreddit