Futebol Internacional

Novo rico? Bilionário tcheco planeja a compra do West Ham ainda nesta temporada - veja os valores

Vitor Beloti
West Ham tem grandes chances de se tornar o novo rico do futebol
West Ham tem grandes chances de se tornar o novo rico do futebol / Justin Setterfield/GettyImages
facebooktwitterreddit

A compra do Newcastle para um fundo de investimentos da Arábia Saudita foi muito comentada nas últimas semanas, mas não deve ser a única venda de um clube inglês ainda esta temporada. De acordo com a emissora Sky News e o jornal Telegraph, o West Ham está em conversas avançadas com o bilionário tcheco Daniel Kretinsky e o negócio pode ser fechado ainda nos próximos dias. Kretinsky planeja a compra de 27% das ações do clube, que está avaliado, atualmente, em 600 milhões de libras (cerca de R$ 4,85 bilhões na cotação atual).

Atualmente, os empresários David Sullivan e David Gold são os acionistas majoritários do clube após desembolsar 105 milhões de libras por 50% do clube, no início de 2010. Ainda neste ano, eles perceberam que o projeto estava se encaminhando melhor que a expectativa gerada antes da compra, e por isso decidiram comprar mais 30% das ações para ter o total controle sobre o West Ham.

Tomas Soucek, Vladimir Coufal, Aaron Cresswell, Issa Diop
West Ham derrotou o Manchester City pela Copa da Liga nos pênaltis. / Mike Hewitt/GettyImages

Mesmo que Kretinsky compre grande parte das ações do clube, os atuais acionistas majoritários não pretendem perder o total controle da equipe. Ainda de acordo com o Telegraph, David Sullivan e David Gold buscam apenas investidores parceiros e não planejam, a princípio, perder suas posições à frente do clube.

Além de ser presidente e dono do Sparta Praga, Daniel Kretinsky acredita que seus investimentos na principal liga do mundo - a Premier League - pode ser um grande avanço para seus objetivos particulares. Segundo a revista Forbes, Daniel Kretinsky conquistou sua fortuna em sua carreira como empresário e advogado na República Tcheca, e seu patrimônio é avaliado em 4 bilhões de euros (cerca de 26 bilhões de reais) neste ano.

No entanto, caso o empresário tenha em mente a compra completa de todas as ações do clube nos próximos anos, o bilionário ficará de mãos atadas por causa de uma cláusula no contrato entre o West Ham e o Estádio de Londres, que garante ao London Legacy Development Corporation, instituição de Londres que é a dona da área em que o estádio foi construído, um percentual de lucro em caso de venda do clube. Porém, a cláusula expira em março de 2023, e logo após estará apto para adquirir 100% do controle da equipe inglesa.

facebooktwitterreddit