Copa do Mundo 2022

Após denúncia do Chile, Fifa abre investigação sobre possível irregularidade no caso Byron Castillo – saiba mais

Antonio Mota
Byron Castillo defendeu o Equador nas Eliminatórias da Copa do Mundo; Federação do Chile alega que defensor nasceu na Colômbia, e Fifa vai investigar
Byron Castillo defendeu o Equador nas Eliminatórias da Copa do Mundo; Federação do Chile alega que defensor nasceu na Colômbia, e Fifa vai investigar / MARCELO HERNANDEZ/GettyImages
facebooktwitterreddit

A Fifa anunciou nesta quarta-feira (11) que abriu um processo disciplinar para apurar denúncia da Associação de Futebol do Chile (ANFP) contra a Federação Equatoriana de Futebol. A investigação seria acerca de possível inelegibilidade do defensor Byron David Castillo Segura, que, conforme a acusação, nasceu na Colômbia e representou o Equador de forma irregular em oito jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo.

De acordo com informações do “ge”, a ANFP defende que Byron atuou irregularmente nas Eliminatórias e, inclusive, solicita que o Equador perca os pontos dos jogos em que o defensor entrou em campo. E mais, os adversários ficariam com os três pontos nestas oito partidas. Com isso, o próprio Chile ganharia uma vaga no Mundial.

Pervis Estupiñan, Byron Castillo Fifa Copa Mundo Chile Equador
Byron Castillo tem 23 anos e atua no Barcelona de Guayaquil / Pool/GettyImages

A Federação Equatoriana de Futebol, após o anúncio da denúncia do Chile, se manifestou e informou que Byron Castillo não atuou de forma irregular. A entidade disse também que todos os documentos do defensor estavam em ordem e que não existiria motivos para uma eventual penalização. O atleta, cabe notar, não atuou nos jogos contra a Seleção Brasileira.

“Abriu-se uma investigação porque, preliminarmente e sem avançar no mérito, a Fifa entendeu que existem indícios de uma possível adulteração e agora vai se aprofundar no mérito, ouvindo a posição do jogador e da federação equatoriana. Desde o começo venho dizendo que estamos convictos de que o jogador nasceu na Colômbia e falsificou a certidão de nascimento no Equador, e mostramos isso com documentos à FIFA. Agora chegou a vez do atleta e da FEF se explicarem” afirmou o advogado Eduardo Carlezzo, que é brasileiro e representa o Chile no caso.

O Comitê de Disciplina da Fifa será o responsável pela investigação do caso. Após veredito, o Equador poderá acionar o Comitê de Apelações da própria federação internacional e, depois, até entrar com recurso no Tribunal Arbitral do Esporte.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.

facebooktwitterreddit