Futebol brasileiro

Demitido, Carille revela pedido não atendido por reforços no Santos: 'Fiz uma lista de quinze nomes'

Fabio Utz
Treinador não resistiu à má campanha no Campeonato Paulista
Treinador não resistiu à má campanha no Campeonato Paulista / Alexandre Schneider/GettyImages
facebooktwitterreddit

Recentemente demitido do comando do Santos, o técnico Fábio Carille concedeu uma entrevista ao blog do PVC. E deixou claro que, com o que tinha em mãos, talvez não pudesse fazer muito mais pelo clube.

Anunciado em 8 de setembro do ano passado, o treinador até teve sucesso na primeira missão, que era livrar o Peixe do rebaixamento no Brasileirão. No entanto, o planejamento para 2022 não andou.
"Fiz uma lista de quinze reforços e aprovei mais quinze nomes. Infelizmente não chegaram jogadores. Veja que os problemas do Santos não são de hoje. Vêm há muito tempo. Quando chegamos, estávamos perto da zona de rebaixamento. O Santos escapou do rebaixamento do estadual passado contra o São Bento, no último jogo. Terminamos em décimo lugar, sete pontos acima do Grêmio, rebaixado", disse.

Mesmo com a queda precoce, Carille não demonstra qualquer tipo de arrependimento em ter assumido o clube paulista após voltar do mundo árabe. Pelo contrário. Embora as dúvidas iniciais, viu esta como uma oportunidade única. "Puxa, é o Santos! Posso não ter outra chance de dirigir... o Santos! Aceitei e só pensei no momento. A ideia era trabalhar e tirar o time das últimas posições. Conseguimos terminar em décimo lugar. Não sei nem se tem praia em Santos. As pessoas dizem que sim. Só conheci o CT", completou. Para o seu lugar, foi contratado Fabián Bustos. O Peixe, apesar de classificado à segunda fase da Copa do Brasil, é apenas o terceiro colocado de seu grupo no Campeonato Paulista. No momento, estaria fora das quartas de final.

Para mais notícias do Santos, clique aqui.

facebooktwitterreddit