Brasileirao Série A

Edenilson vai à polícia para acusar jogador do Corinthians de injúria racial e lateral se defende - entenda

Bia Palumbo
Rafael Ramos e Edenilson discutiram no Beira-Rio
Rafael Ramos e Edenilson discutiram no Beira-Rio / Silvio Avila/GettyImages
facebooktwitterreddit

O empate entre Internacional e Corinthians no Beira-Rio neste sábado (14) ficou marcado por mais um caso de racismo. No segundo tempo, o meio-campista Edenilson chamou o árbitro Braulio da Silva Machado ao alegar ter sido chamado de "macaco" pelo lateral Rafael Ramos.

Segundo a súmula divulgada no site da CBF, o português recém-contratado teria dito um palavrão.

Edenilson, William
Jogo entre Corinthians e Internacional em Porto Alegre terminou 2 a 2 / Silvio Avila/GettyImages

"Aos 31 minutos do 2º tempo, no momento em que a partida estava paralisada, fui informado pelo jogador nº 8, da equipe SC Internacional, sr. Edenilson Andrade dos Santos, que seu adversário nº 21, sr. Rafael Antônio Figueiredo Ramos, havia proferido as seguintes palavras para ele: "foda-se macaco". Neste momento paraliso a partida e chamo os jogadores envolvidos para relatarem o que havia acontecido, sendo que o jogador Edenilson Andrade dos Santos, confirma as palavras anteriormente citadas e o jogador Rafael Antônio Figueiredo Ramos, afirma que houve um mal entendido devido ao seu sotaque (português) e diz ter proferido as seguintes palavras 'foda-se caralho'. devido à distância dos atletas e barulho da torcida nem eu, nem outro integrante da equipe de arbitragem consegue ouvir ou perceber qualquer das palavras acima citadas. Então dou continuidade a partida."

Súmula de Braulio da Silva Machado

Nenhum dos jogadores falou com a imprensa após a partida, mas o atleta do Inter publicou uma mensagem (confira a íntegra a seguir). Edenilson registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil e Rafael Ramos também prestou esclarecimento no JECrim (Juizado Especial Criminal) do Estádio Beira-Rio, assim como o árbitro.

Segundo o delegado Carlo Butarelli, o lateral do Corinthians foi detido pelo crime de injúria racial e liberado após pagamento de fiança de R$ 10 mil. Ele vai responder processo em liberdade e um inquérito policial deve ser aberto para concluir a investigação.

O que dizem os jogadores

Edenilson se manifesta

"Boa noite, pessoal. Passando aqui apenas para me pronunciar. Eu sei o que ouvi, realmente não reagi provavelmente da forma que deveria pois foi a primeira vez que isso aconteceu comigo e me incomoda o fato de ficar chamando atenção de outra forma que não seja jogando futebol (quem me conhece sabe). Ser xingado pelo tom da minha pele, minha reação foi a de não paralisar a partida pois o jogo estava bom e ao mesmo tempo eu não queria que tomasse a proporção que tomou justamente por nunca ter passado por isso. Eu procurei o atleta para que ele assumisse e me pedisse desculpas, afinal todos erramos e temos o direito de admitir no meu modo de ver as coisas. Mas o mesmo continuou a dizer que eu havia entendido errado. Eu não entendi errado, o procurei pelo respeito que tenho por alguns integrantes do Corinthians e para que ele pudesse ter uma chance de se redimir. Pois independente da nossa cor o caráter sempre falará mais alto. Enfim, peço desculpas por não estar preparado para reagir a algo desse tipo."

A versão de Rafael Ramos

"Estou aqui consciente e de cabeça limpa para explicar que o que aconteceu foi puramente um mal entendido. Já no final do jogo fui conversar com ele e tivemos uma conversa tranquila. Expliquei o que tinha acontecido, a verdade do que tinha dito e foi isso que aconteceu. Ele ainda mostrou um pouco de receio de passar como mentiroso e eu disse a ele que não é mentiroso, apenas entendeu errado o que eu falei. Foi isso e apertamos a mão."

Nota oficial do Internacional

"Mais uma vez, um lamentável caso de racismo é registrado no futebol nacional. Desta vez, em nossa casa, contra um jogador do Internacional. Na partida deste sábado (14/05), pelo Campeonato Brasileiro, Edenilson relata ter sofrido injúria racial por parte de Rafael Ramos, atleta do Corinthians. É inadmissível que ainda ocorram fatos desse tipo em 2022, não há espaço para o racismo em nossa sociedade. O Clube do Povo reitera que repudia todo e qualquer ato de preconceito e apoia o seu atleta".

Nota oficial do Corinthians

"O pagamento de fiança não implica admissão de culpa, permitindo ao atleta que se defenda em liberdade no inquérito. Clube e atleta continuarão a colaborar com as autoridades, certos de que tudo será esclarecido o mais rapidamente possível."

facebooktwitterreddit