Afastado do Santos, Peres questiona processo de impeachment e critica Rollo: “Parece a Rainha da Inglaterra”

Antonio Mota
Clima quente na Vila!
Clima quente na Vila! / MIGUEL SCHINCARIOL/Getty Images
facebooktwitterreddit

Em participação no programa Mesa Redonda, da TV Gazeta, do último domingo (1º), José Carlos Peres, presidente afastado do Santos, não escondeu sua insatisfação quanto ao processo de impeachment contra seu mandato no clube e também não poupou críticas ao seu substituto interino Orlando Rollo. Segundo o cartola, houve uma “vingança política”:   

“Acho que foi uma vingança política. Infelizmente, o Santos vive uma divisão muito grande. Tem 16 grupos dentro do Conselho Deliberativo e 10 candidatos. Destes 10, só um não está no Conselho Deliberativo. Isso já denota essa divisão toda. O Conselho Fiscal fez a carga porque fiz o investimento grande em 2019, e hoje esse investimento reflete nos ativos. Nós temos grandes jogadores, Marinho, Soteldo, Felipe Jonatan, e os que nós vendemos, que foram Sasha e Everson, que renderam 2,5 milhões de euros, e não custaram tudo isso. Eles se aproveitaram da crise de 2020 e toda essa condição de pandemia. A gente estava preparado para fazer os pagamentos da FIFA. Tivemos recebimentos de Turner e Globo. Se somarmos tudo, nós pegamos 40 milhões de reais e colocamos no clube e deixamos o salário para o interino pagar. Isso ele não fala”, declarou.

Dos bastidores da Vila: Peres e Rollo seguem se desentendendo.
Dos bastidores da Vila: Peres e Rollo seguem se desentendendo. / GUILHERME DIONIZIO/Getty Images

Em seguida, Peres comentou sobre a postura de Rollo e afirmou que o interino perde muito tempo em entrevistas. “O interino é o que me substituiu temporariamente. Ele está com uma postura que não é das melhores, eu lamento muito, mas faz parte do caráter dele. Todo mundo conhece em Santos. Não preciso falar e nem analisar esse sujeito. Ao invés de entrar e fazer um bom trabalho, vai toda hora na televisão, parece uma Rainha da Inglaterra, fica toda hora dando entrevista e o tempo vai passando. Eu trabalhava no Santos por 16 horas por dia e já não dava. Imagina ficar dando entrevista toda a hora. Com certeza absoluta, você não vai render no trabalho. Menos choradeira e mais trabalho”, completou.

Procurado pela Gazeta Esportiva, Orlando Rollo disse que o presidente afastado só quer tumultuar o ambiente. "Enquanto estamos trabalhando ele só quer tumultuar e conturbar o ambiente. Colocamos ordem na casa, estamos pagando as dívidas, sendo a maioria causada por ele. Hoje o ambiente é excelente sem ele", atestou o cartola.

DO IMPEACHMENT e DAS NOVAS ELEIÇÕES

O Conselho Deliberativo do Santos vai tratar do processo de impeachment do presidente afastado José Carlos Peres em reunião na próxima quinta-feira (5). O cartola vai se defender sobre a acusação de “gestão temerária” e a Comissão de Inquérito e Sindicância vai emitir um novo parecer. Depois, os Conselheiros decidirão se o mandatário vai ou não continuar afastado.

A princípio, o movimento tende para que o Conselho vote para que Peres siga fora do cargo, fazendo assim com que a decisão fique para os sócios em assembleia geral. Cabe notar que o mandatário foi afastado no último dia 28 de setembro e que assim a votação entre os associados precisa acontecer em até 60 dias – no caso, até o dia 28 de novembro. Até lá, o cartola segue fora.

Enquanto isso, o Peixe vai se aproximando de sua nova eleição, a qual vai acontecer no dia 12 de dezembro. Até agora, os pré-candidatos são: Andrés Rueda, Daniel Curi, Esmeraldo Tarquínio, Fernando Silva, Milton Teixeira Filho, Ricardo Agostinho, Rodrigo Marino e Vagner Lombardi. Marcelo Teixeira aparece como um possível novo interessado no pleito.

As informações acima são da Gazeta Esportiva.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.

facebooktwitterreddit