Futebol brasileiro

Acionista da SAF do Botafogo, John Textor terá reunião com lideranças do futebol para decidir sobre adesão à Libra

Wéverton Rodrigues
Reunião que seria realizada nesta quinta-feira (12) acabou sendo cancelada
Reunião que seria realizada nesta quinta-feira (12) acabou sendo cancelada / Buda Mendes/GettyImages
facebooktwitterreddit

John Textor, investidor do Botafogo, visa construir um projeto sólido para o Fogão. Entre as inúmeras ações feitas pelo empresário para alcançar este objetivo, está a que envolve seu posicionamento sobre a criação da Libra (Liga do Futebol Brasileiro). Dessa forma, a fim de ouvir as propostas que giram em torno do projeto, o norte-americano decidiu participar de uma reunião com representantes de times do futebol brasileiro para debater sobre a possibilidade de efetivação, na prática, da ideia e, ainda, para defender o ponto de vista do Alvinegro carioca em meio às conturbadas negociações que se estendem há alguns dias.

Confira abaixo a nota divulgada pelo Botafogo:

"O Botafogo informa que o acionista John Textor irá se reunir nesta semana com lideranças do futebol brasileiro, de todos os grupos, para debater sobre a constituição de Liga. Textor pretende compartilhar suas visões, aprofundar a avaliação das propostas e buscar entendimento que melhor colabore para o futuro do futebol no país, aderente às expectativas do Clube."

Botafogo de Futebol e Regatas

A reunião, que estava marcada para acontecer nesta quinta-feira (12), na sede da CBF, acabou sendo cancelada. Os 23 times opositores têm, inclusive, um encontro na próxima segunda-feira (16), no Rio de Janeiro, a fim unificar forças em oposição ao 'bloco dominante', o que tornou inviável a realização da reunião desta quinta. Antes de uma nova roda de debates ser marcada, a ideia é que os dirigentes consigam avançar nas tratativas do estatuto da Libra para se chegar a um possível acordo sobre a criação da Liga, que ainda divide muitas opiniões.

Alguns clubes já foram favoráveis à criação da Libra e, inclusive, assinaram o documento: Bragantino, Corinthians, Flamengo, Cruzeiro, Vasco, Ponte Preta e Palmeiras, Santos e São Paulo. Existe, porém, um bloco de oposição à ideia inicial proposta no projeto, que exige mais igualdade financeira, a saber, outros 23 clubes, tanto da Série A quanto da Série B, incluindo os 10 participantes do Forte Futebol. Existe ainda um grupo de times que não decidiu pela adesão à ideia, o qual é formado, além do Botafogo de John Textor, pelo Atlético-MG, Internacional, Bahia e Grêmio.

Hoje, de um lado estão os times favoráveis à adesão (Bragantino, Corinthians, Flamengo, Palmeiras, Santos e São Paulo, da Série A; Cruzeiro, Ponte Preta e Vasco, da Série B) e, do outro, os clubes que ainda são contrários à adesão e que reinvidicam melhorias em relação às condições impostas (América-MG, Atlético-GO, Avaí, Ceará, Coritiba, Athletico-PR, Cuiabá, Fluminense, Fortaleza, Juventude e Goiás, da Série A; Chapecoense, Brusque, CSA, CRB, Náutico, Criciúma, Londrina, Operário, Sampaio Corrêa, Sport, Tombense e Vila Nova, da Série B).

facebooktwitterreddit