5 novidades para ficarmos de olho no Brasileirão Feminino

Nathália Almeida
Mar 8, 2021, 7:51 AM GMT-3
Duelo entre Corinthians e Ferroviária pela última edição do Campeonato Brasileiro.
Duelo entre Corinthians e Ferroviária pela última edição do Campeonato Brasileiro. / Carol Coelho/Getty Images
facebooktwitterreddit

Todo dia é um bom dia para falarmos de futebol feminino, mas esta segunda-feira (8), data em que celebramos o Dia Internacional da Mulher, demanda uma atenção especial à modalidade e suas protagonistas.

Pensando nisso, fizemos um apanhado especial de novidades que cercam a próxima edição da principal competição do calendário da categoria: o Brasileirão. Programado para começar no próximo dia 28 de março, o torneio terá novas caras, novas equipes e até mesmo, quem sabe, uma nova casa. Quem saber mais? Confere aí:

Possibilidade de transmissão na TV Globo

O martelo ainda não está batido, mas estamos nos antecipando e trazendo esta possibilidade como uma novidade sobre a competição. Como o nosso desejo é ver o futebol feminino cada vez mais acessível e chegando em mais e mais casas, a notícia de que a Rede Globo negocia pelos direitos de transmissão do Brasileirão, trazida por múltiplas fontes como o UOL Esporte, empolga todos os fãs e entusiastas da modalidade. Para o esporte crescer e conquistar novos adeptos, é fundamental que ele esteja nas televisões. Fica aqui a nossa torcida para que este acerto seja selado.

Maior artilheira da competição está de casa nova

Após brilhar intensamente em 2020 com a camisa do Internacional, a goleadora Byanca Brasil, maior artilheira da história do Brasileirão com 48 gols anotados, está de casa nova: fechou com o Santos para a temporada 2021. Trata-se de uma aquisição de impacto e que leva as 'Sereias da Vila' para um outro patamar de competitividade, aumentando ainda mais a possibilidade de termos um Brasileirão de protagonismo dividido entre gigantes do Estado de São Paulo.

Quatro novos representantes na elite

Botafogo e Napoli subiram para a primeira divisão
Botafogo e Napoli subiram para a primeira divisão / LEONARDO SGUACABIA/Photopress/Gazeta Press

O Estado da Bahia perdeu o Vitória, mas seguirá representado na elite do futebol feminino, agora pelo Tricolor de Aço, que foi um dos semifinalistas da Série A2 de 2020 e garantiu seu acesso.

Santa Catarina, Rio de Janeiro e Distrito Federal, que tinham um representante cada no Brasileirão Feminino de 2020, agora contarão com duas equipes participantes: Napoli (SC), Botafogo e Real Brasília (DF) foram promovidos e garantirão mais embates 'locais' na competição, fazendo companhia à Avaí/Kindermann (SC), Flamengo e Minas Brasília (DF).

Locomotiva sob nova direção

Todos sabem que a Ferroviária é uma das equipes mais tradicionais, importantes e consolidadas do futebol feminino brasileiro. Nos últimos dois anos, as Guerreiras Grenás foram comandadas por Tatiele Silveira, técnica competentíssima e multicampeã, que revolucionou o futebol do clube e o conduziu ao título do Brasileirão em 2019.

Seu contrato chegou ao final e a despedida acabou sendo confirmada, mas a Locomotiva foi atrás de outro nome forte para assumir a sua área técnica: Lindsay Camila. Ela deixou o comando da Seleção Brasileira Sub-17 pelo desafio à frente da Ferroviária, ou seja, trata-se de um 'casamento' que gera expectativa e olhares atentos dos fãs da modalidade.

Goleadora da edição de 2020 'pulou o muro'

Artilheira da edição de 2020 do Brasileirão com 12 gols anotados e eleita pela CBF como a melhor atacante da competição, Carla Nunes 'pulou o muro' e está de casa 'nova' no futebol brasileiro: trocou o Palmeiras pelo São Paulo, clube que já tinha defendido anteriormente em sua carreira.

Vivendo uma fase exuberante, Carla foi a estrela da ótima campanha do Verdão na temporada passada, participando diretamente de mais de 1/3 dos gols da equipe na competição. Graças ao ano inspirado da goleadora, o Palmeiras chegou até às semifinais, parando apenas no arquirrival Corinthians, que viria a ser o grande campeão da competição

facebooktwitterreddit