Opinião

5 fatores que explicam a queda de rendimento do Fortaleza

Lucas Humberto
Leão do Pici passa pelo pior momento desde que Juan Pablo Vojvoda chegou ao comando do clube
Leão do Pici passa pelo pior momento desde que Juan Pablo Vojvoda chegou ao comando do clube / Marcelo Endelli/GettyImages
facebooktwitterreddit

Antes com status de invicto na temporada, o Fortaleza emplacou quatro derrotas consecutivas depois da conquista da Copa do Nordeste, algo que não acontecia desde novembro de 2020. Diante da consistência que virou marca registrada do trabalho de Juan Pablo Vojvoda, a torcida não deixa de estranhar o momento ruim.

Com os dois placares adversos, o Leão do Pici iniciou com pé esquerdo em dois dos principais torneios do calendário: Copa Libertadores e Campeonato Brasileiro. Abaixo, nós listamos cinco fatores que explicam a queda de rendimento do clube.

1. 'Ressaca' da Copa do Nordeste

Fortaleza Libertadores Copa do Nordeste Brasileirão
Equipe parece não ter 'acordado' depois da conquista da Copa do Nordeste / Marcelo Endelli/GettyImages

Com 2 a 1 no placar agregado da decisão, o Fortaleza conquistou a Copa do Nordeste diante do rival Sport. Acontece que, desde então, o Leão do Pici parece não ter conseguido virar a chave para destinar a devida atenção aos principais compromissos da temporada. O atraso pode custar caro...

2. Seca de Robson e Silvio Romero

Silvio Romero Robson Fortaleza Libertadores Brasileirão
Espera-se mais efetividade de Silvio Romero / THIAGO GADELHA/GettyImages

Como emplacar vitórias se duas das principais referências ofensivas seguem "desaparecidas"? Silvio Romero e Robson, juntos, anotaram quatro gols na Copa do Nordeste. No Brasileirão e na Libertadores, a dupla permanece zerada. Fica difícil para Yago Pikachu resolver todas.

3. Instabilidade defensiva

Max Walef Fortaleza Brasileirão Libertadores
Meta de Max Walef tem sido vazada com uma frequência preocupante / Marcelo Endelli/GettyImages

O Fortaleza sofreu gols em 12 das 20 partidas disputadas em 2022. São 60% dos jogos tendo a defesa vazada. Até adversários de divisões inferiores, como o Botafogo-PB e Altos-PI, estão causando dores de cabeça no goleiro Max Walef.

Os problemas, contudo, vão muito além do arqueiro. Se Marcelo Benevenuto segue sendo um dos poucos alentos da torcida, Titi está passando pouquíssima confiança. As lesões frequentes de Tinga também não ajudam, afinal, o substituto Landázuri não consegue manter o nível.

4. Indefinições no meio-campo

 Zé Welison Fortaleza Libertadores Brasileirão
Parceiro de Zé Welison precisa ser definido com urgência / THIAGO GADELHA/GettyImages

Se zagueiros e volantes não têm boa comunicação, a equipe dificilmente irá prosperar. E por isso é tão necessário definir quem será o companheiro de Zé Welison na faixa central do Leão do Pici. A alternância entre Matheus Jussa, Hércules, Felipe e Ronald não está ajudando tanto assim.

5. Calendário apertado

Fortaleza Internacional Brasileirão Libertadores
Sequência de derrotas foi sofrida em um pequeno espaço de tempo / Getty Images/GettyImages

O último dos fatores é talvez o problema mais crônico do futebol moderno: o calendário. A preocupante sequência de derrotas do Fortaleza foi sofrida entre os dias 7 e 17 de abril, ou seja, 10 dias.

Para completar, o Leão do Pici ainda terá três jogos nos próximos cinco dias: Vitória, pela Copa do Brasil, na quarta-feira (20), além da decisão de ida e volta do Cearense contra o Caucaia, nos dias 22 e 24 de abril.

facebooktwitterreddit