Opinião

5 erros cometidos pelo Flamengo na decisão da Supercopa do Brasil

Antonio Mota
O Flamengo foi bem durante boa parte dos 90 min da decisão da Supercopa do Brasil, mas também cometeu erros. Veja.
O Flamengo foi bem durante boa parte dos 90 min da decisão da Supercopa do Brasil, mas também cometeu erros. Veja. / Wagner Meier/GettyImages
facebooktwitterreddit

O Flamengo fez uma boa partida, foi organizado e até melhor do que o Atlético-MG durante boa parte dos 90 minutos na decisão da Supercopa do Brasil, mas cometeu erros que o custaram o troféu de “supercampeão”. Com falhas durante o tempo regulamentar e na marca da cal na Arena Pantanal, o Rubro-Negro Carioca perdeu mais uma taça nacional.

Sem mais delongas, veja 5 erros cometidos pelo Flamengo na decisão da Supercopa do Brasil.

1. Falta (já comum) de efetividade na conclusão dos lances

Flamengo Supercopa Brasil Atlético-MG Fabricio Bruno
O Flamengo perdeu boas chances ao longo dos 90 minutos. / Alexandre Neto/Photopress/Gazeta Press

O Flamengo continua tendo problema na hora de concluir os lances. Na decisão da Supercopa, o Rubro-Negro perdeu belíssimas chances de sair na frente no placar: Gabigol (2x) e Fabrício Bruno, por exemplo, desperdiçaram oportunidades que teriam feito a diferença contra o Galo. Erro comum e que Paulo Sousa ainda não corrigiu.

2. Falha de Hugo no primeiro gol do Galo

Hugo Nogueira Flamengo Supercopa Brasil Atlético-MG
Hugo foi bem nos pênaltis, mas falhou em lance capital no tempo regulamentar. / Getty Images/GettyImages

Enquanto o Flamengo perdeu chances, o Atlético-MG foi cirúrgico. Ainda na primeira etapa, com o Fla em bom momento, Hugo cometeu um erro de juvenil, espalmou a bola para frente e abriu caminho para o gol do Galo. Nacho não perdoou. Grave falha do jovem e promissor arqueiro.

3. Entrada de Diego Ribas

Diego Flamengo Atlético-MG
Diego entrou perdido no Flamengo. / Wagner Meier/GettyImages

Já na etapa complementar na decisão da Supercopa do Brasil, Bruno Henrique sentiu o cansaço do início de temporada e precisou ser substituído. Paulo Sousa se movimentou à beira do campo e chamou Diego Ribas. Aos 36 anos, o meio-campista entrou para ficar com a bola e ter o controle do jogo, mas, de novo, isso não aconteceu.

Diego tem uma linda história no Flamengo, mas não tem mais força e intensidade para participar de partidas tão competitivas. Hoje, aliás, o medalhão entrega muito pouco ao time.

Falha de Paulo Sousa, que poderia ter apostado em outros nomes, como no recém-chegado Marinho ou até em Andreas Pereira.

4. Pênalti cobrado por Willian Arão

Willian Arão Flamengo Atlético-MG
Willian Arão foi muito mal na marca da cal. / Buda Mendes/GettyImages

Flamengo e Atlético-MG empataram em 2 a 2 no tempo regulamentar na decisão da Supercopa do Brasil. Com isso, o duelo foi para os pênaltis. E o Fla teve quatro chances de conquistar o título na marca da cal, sendo a primeira com Willian Arão. O volante pensou em cobrar com segurança, chutou no meio do gol e entregou a bola para Everson. Péssima cobrança. 

5. Gabigol não ter cobrado o último pênalti

Gabriel Barbosa Flamengo
Gabigol não bateu o pênalti mais importante da decisão. / Wagner Meier/GettyImages

Apontado como um dos melhores batedores de pênalti do Brasil, Gabriel Barbosa não cobrou o último pênalti do Flamengo na decisão da Supercopa. Vitinho foi o responsável e perdeu. Mas ficou a questão em aberto: por que Gabigol não foi o cobrador? “Foi uma questão do Gabi”, revelou Diego após o apito final.

Outro erro do Fla.

facebooktwitterreddit