Futebol brasileiro

Com enredo épico, Galo supera Flamengo nos pênaltis e conquista Supercopa do Brasil

Nathália Almeida
Hulk anotou o gol de empate que levou a decisão às penalidades
Hulk anotou o gol de empate que levou a decisão às penalidades / ALEXANDRE NETO/Photopress/Gazeta Press
facebooktwitterreddit

Senhoras e senhores, o time do impossível e dos enredos épicos está de volta. Neste domingo (20), o Atlético-MG levou a melhor em uma das decisões mais cardíacas do futebol nacional nos últimos anos, superando o rival Flamengo nas penalidades e faturando o título da Supercopa do Brasil.

Disputada na Arena Pantanal, em Cuiabá, em virtude de um longo desentendimento entre diretorias dos clubes e a CBF, a finalíssima rendeu fortes emoções aos torcedores envolvidos e fãs de futebol desde os primeiros minutos. Dominante na primeira parte da etapa inicial, o Flamengo viu seu grande artilheiro, Gabriel Barbosa, desperdiçar boas oportunidades de abrir o placar. O castigo acabou vindo ainda na reta final dos 45 minutos iniciais, com Nacho Fernández indo às redes após rebote do goleiro Hugo Moura em finalização de longa distância.

Diego Godín, Gabriel Barbosa
Gabriel perdeu boas oportunidades no primeiro tempo / Getty Images/GettyImages

A segunda etapa trouxe um Rubro-Negro ainda mais intenso e obstinado a mudar o rumo da final. E dos pés de Arrascaeta, veio a reação do clube da Gávea: duas belas jogadas originando gols de Gabi e Bruno Henrique. O 2 a 1 no marcador e a Arena Pantanal inflamada pela torcida do Mais Querido poderiam ter esmorecido o Atlético-MG, mas o artilheiro do Brasil em 2021, Hulk, provou ter outros planos para a decisão e igualou o placar em 2 a 2. A definição do supercampeão do Brasil viria nas penalidades.

Da marca da cal, testemunhamos o que há de melhor e pior em termos de cobranças e atuações dos goleiros. A primeira série terminou empatada em 5 a 5 com os dois times acertando 100% das batidas mas, nas alternadas, o nível caiu e os goleiros começaram a aparecer. O Flamengo teve quatro oportunidades de fechar a decisão, mas perdeu sua cobrança nas quatro vezes, com Everson se destacando e sobressaindo em relação ao jovem Hugo.

Everson
Everson foi o herói da noite na Arena Pantanal / Buda Mendes/GettyImages

Reincorporando a alcunha de time do impossível, o Galo mostrou resiliência para sair de praticamente "morto" na série para a vantagem com Hulk, na cobrança de número 12. E Vitinho, que havia entrado bem no segundo tempo, saiu como vilão perdendo sua última batida. O Galo ganhou de novo, e provou mais uma vez que, neste momento, é o melhor time do país.

facebooktwitterreddit