Futebol Feminino

Os 4 erros da Seleção Brasileira na derrota para a Suécia, o último teste antes da Copa América

Bia Palumbo
Debinha abriu o placar, mas Brasil teve dificuldade para segurar a vantagem e faltou gás para buscar o empate
Debinha abriu o placar, mas Brasil teve dificuldade para segurar a vantagem e faltou gás para buscar o empate / David Lidstrom/GettyImages
facebooktwitterreddit

No reencontro da técnica Pia Sundhage com a Suécia, melhor para seleção número 2 do mundo no ranking da FIFA, que retribuiu o apoio de cerca de 36 mil torcedores na Friends Arena, em Solna, com uma vitória por 3 a 1 - com direito a golaço de cobertura da craque Blackstenius.

O Brasil começou melhor, mas repetiu problemas e cometeu algumas falhas defensivas que fizeram as donas da casa virarem a partida com Kaneryd e Hurtig em um intervalo de dois minutos. Para te ajudar a entender como foi, o 90min faz um resumo com o que pode ser melhorado até a estreia da Copa América, principal objetivo da canarinho em 2022.

1. Falta de pontaria

Quando enfrenta uma equipe consolidada como a seleção sueca é imprescindível aproveitar as chances criadas e isso não aconteceu, tanto que o Brasil foi melhor no primeiro tempo, mas o volume não se converteu em bolas na rede e isso fez diferença.

2. Concentração

A própria atacante Debinha admitiu que houve um momento de desatenção, tanto que foram dois gols da Suécia em um intervalo de dois minutos.

3. Passes errados

Além de sofrer fisicamente perdendo praticamente todos os duelos após a virada, o Brasil mal conseguia sair jogando para criar perigo e buscar o empate. O problema acontecia tanto na saída de bola quanto na transição ofensiva.

4. Criatividade

As brasileiras finalizaram apenas três vezes na etapa final, exatamente a mesma quantidade de gols feitos pela Suécia no mesmo período, ou seja, o ataque segue como um dos pontos a serem trabalhados principalmente quando há dificuldade para construir algo do meio para frente. Uma alternativa é trabalhar mais a precisão nas bolas paradas ou repertório em jogadas ensaiadas.

A partir de agora é virar a página e aguardar pela recuperação de Gabi Nunes, que sofreu lesão muscular. Duda Sampaio já tinha sido chamada para uma eventual substituição.

Disputada em julho na Colômbia, a Copa América Feminina classifica duas seleções para os Jogos Olímpicos de Paris 2024 e as três que ficarem no pódio se garantem na Copa do Mundo, prevista para acontecer entre 20 de julho e 20 de agosto de 2023 na Austrália e Nova Zelândia.

Atualmente o Brasil é o nono colocado no ranking da Fifa, a segunda melhor seleção fora da Europa, atrás dos EUA que ocupam a primeira posição. As meninas estão no grupo B, o mesmo de Argentina, Peru, Uruguai e Venezuela, e a estreia é justamente o clássico diante das hermanas no dia 8 de julho.

A Suécia, por sua vez, aguarda pelo início da Eurocopa e na primeira fase enfrenta Holanda, Portugal e Suíça.

facebooktwitterreddit