Um clube com 126 anos. Bicampeão do mundo, duas vezes campeão da Champions League e da Liga Europa, 28 vezes campeão nacional. Este é o Porto, uma das equipes mais tradicionais de Portugal e que, ao longo dos tempos, montou grandes equipes e com jogadores que até hoje não saem da memória do torcedor local. É nosso dever, portanto, seguir o que os fãs do Dragão pensar e montar o chamado 11 ideal da equipe azul e branca de todos os tempos.



Vitor Baía (goleiro)


É um ídolo eterno do clube. Campeão da Europa e do mundo na temporada 2003/2004, afora outras conquistas.



João Pinto (lateral-direito)


Campeão da Europa e do mundo em 1987, não sai da cabeça do torcedor do Dragão.



Aloísio (zagueiro)


Com quase 500 jogos pelo clube, o brasileiro empilhou títulos na década de 1990. É mais do que justo que esteja nesta seleção.



Ricardo Carvalho (zagueiro)


É mais um que se sagrou campeão europeu em 2004. Uma estrela portuguesa.



Branco (lateral-esquerdo)


É mais um brasileiro neste scratch. E não é qualquer um. Trata-se de um jogador de três Copas do Mundo (e um título) no currículo. Jogou no Porto entre 1989 e 1990.



Antônio André (volante)


Defendeu o clube entre 1984 e 1995. Não é preciso dizer que conquistou tudo e mais um pouco pela equipe.



Deco (volante)


Brasileiro naturalizado português, virou ídolo por comandar o time na conquista da Champions League de 2004.



Madjer (meia)


É outro muiticampeão pelo Porto. Está no time que ganhou a Champions e o Mundial de 1987.



Hulk (meia-atacante)



Entre 2008 e 2012, cansou de fazer gols pela equipe portuguesa. Quatro vezes campeão nacional, ainda ganhou a Liga Europa em 2011.



Fernando Gomes (atacante)


Formado no clube, ganhou a Europa e o mundo na histórica temporada de 1987. Inesquecível.



Paulo Futre (atacante)


É outro nome na galeria dos grandes heróis do Porto. Afinal, levou o clube a seu auge na década de 1980.