Não é de hoje que no São Paulo tem discussões sobre uma reestruturação nos métodos de trabalho no CT da Barra Funda. Nos últimos dias, o presidente do clube, Carlos Augusto de Barros e Silva, mais conhecido como Leco, tem convocado reuniões com seus conselheiros para discutir os procedimentos que devem ser tomados para o planejamento do ano de 2020. Em contrapartida, o mandatário voltou a ouvir o pedido de restruturação do departamento de comunicação responsável pelo clube, que é um velho desejo de opositores políticos.


Nos últimos meses, o jogador multicampeão Daniel Alves, dono de uma personalidade autêntica, já criticou a política são-paulina certa vez. No fim de novembro, na vitória por 1 a 0 diante do Vasco da Gama, o jogador de 36 anos disse: "Tenho a sensação que aqui dentro do São Paulo existem vários partidos políticos. Isso é um problema, porque não gera estabilidade. Não é todo mundo que quer a mesma coisa. Nós queremos uma coisa, mas o entorno do São Paulo é muito negativo, quem está fora quer entrar e às vezes joga um pouco sujo", comentou o capitão.

Pablo Diego,Dani Alves


Na reunião recentemente, Leco ouviu que os jogadores do clube estariam sendo influenciados e instruídos por funcionários com relação a como devem se comportar em entrevistas que abordam a política interna e, principalmente, com o intuito de defender quem trabalha no CT da Barra Funda. Contudo, não há provas de que isso ocorra. Diferentes grupos políticos pedem alterações no setor, mas não necessariamente a troca dos funcionários que lá estão.



O contestado departamento, por sua vez, não se pronunciou sobre as queixas. Além disso, os responsáveis pela área afirmam ser impossível um funcionário do clube influenciar um jogador como Daniel Alves, reconhecido por seu posicionamento firme em público. Há rumores de membros do Conselho Deliberativo estão interessados na troca das pessoas da comunicação do clube, para fazer suas próprias indicações.