Votação interna decide se Cruzeiro vende imóvel para quitar dívidas

Cruzeiro Plays URT With Closed Doors as the State Championship Resumes Amidst the Coronavirus (COVID - 19) Pandemic
Cruzeiro Plays URT With Closed Doors as the State Championship Resumes Amidst the Coronavirus (COVID | Pedro Vilela/Getty Images

Visando diminuir as dívidas, os conselheiros do Cruzeiro têm uma importante decisão pela frente. Nesta segunda-feira ocorre uma votação para aprovar, ou não, a venda de um imóvel do clube, usado como estacionamento. Para que o resultado seja positivo para a negociação, são necessários 90% dos votos do quórum presente.

A votação acontece a partir das 18h30, horário de Brasília, e será transmitida pelo clube. Para entender toda situação é preciso voltar um pouco. Quando Pedro Rocha chegou ao time, a Raposa deveria ter pago um valor ao Spartak Moscou, previsto no contrato da cessão que foi acertado ano passado. Entretanto, esse valor ainda não foi quitado, gerando uma ordem de pagamento emitida pela FIFA no valor de R$ 2,3 milhões. Logo, a venda desse terreno significaria sanar esse valor e ter um caixa disponível para eventuais situações.

A dívida preocupa ainda mais por vir diretamente da FIFA, que estipula sanções aos clubes que estão com débitos em abeto. Dessa vez, a pena pelo não pagamento é a proibição de registrar novos atletas, até que tudo seja resolvido.

A expectativa dos membros do conselho é de conseguir vender o imóvel, que foi avaliado na faixa de R$ 13 a 15 milhões. Todavia, pode ser que haja um movimento contrário neste momento, o que colocaria tudo a perder.

Por outro lado, o Cruzeiro conseguiu quitar parte das dívidas que tem com o Zorya, da Ucrânia, com a vinda de William. Além de estar buscando acordo de parcelamento para os débitos referentes às contratações de Kunty Caicedo e Rafael Sobis.