Opinião

Torcida do Galo tem 'meia razão' em rejeitar nome de Renato, mas pode se surpreender caso seja ele o técnico

Fabio Utz
Treinador não fez bom trabalho no Flamengo, mas foi vitorioso pelo Grêmio
Treinador não fez bom trabalho no Flamengo, mas foi vitorioso pelo Grêmio / Buda Mendes/GettyImages
facebooktwitterreddit

A informação de que Renato Gaúcho poderia ser confirmado como novo técnico do Atlético-MG caiu como uma verdadeira bomba entre os torcedores do Galo, que em sua maioria não aprovam o nome. Pois essa situação tem dois lados a serem analisados.

Está muito claro que o clube não quer Renato. Se quisesse, não ficaria desde o final do ano passado atrás de um profissional. Bastava ir ao ao encontro do treinador - aliás, como fez no início de 2021 -, formalizar a proposta e fechar negócio. Dificilmente o ex-técnico de Grêmio e Flamengo diria não a um clube que investe forte no futebol e que, fatalmente, vai brigar por grandes títulos na temporada.

A torcida, por esse viés, tem razão em questionar a escolha (se esta realmente ocorrer) por conta de uma falta de tato dos dirigentes em lidar com essa situação. Realmente não se pode aceitar, independentemente do nome, que uma instituição com o poder do Atlético-MG vá a uma quarta ou quinta opção de mercado até obter o 'sim' de alguém.

Agora, dentre as alternativas disponíveis no Brasil, não há melhor. Renato foi mal no Flamengo? Foi, muito mal. Mas vinha de um período vencedor no Grêmio. O que ele precisa é de um superior que dê as ordens e não permita sua supremacia total dentro do vestiário. Se alguém cobrar no dia a dia, se alguém estiver presente o questionando sobre escolhas, ele rende. Saber montar times, ele sabe. Saber lidar com estrelas, ele sabe. O que ele precisa é ser, apenas, treinador. Se ele realmente for procurado e isso acontecer, rapidamente a torcida atleticana tende a mudar de opinião sobre este profissional.

Para mais notícias do Atlético Mineiro, clique aqui.

facebooktwitterreddit