Futebol brasileiro

STJD nega recurso e pune Brasil de Pelotas por atos racistas de torcedores em jogo do Grêmio - saiba mais

Antonio Mota
Brasil de Pelotas é punido pelo STJD por atos de discriminação racial em partida contra o Grêmio, válida pelo Campeonato Gaúcho
Brasil de Pelotas é punido pelo STJD por atos de discriminação racial em partida contra o Grêmio, válida pelo Campeonato Gaúcho / Pool/GettyImages
facebooktwitterreddit

O Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) realizou nesta quinta-feira (9) em Porto Alegre uma sessão para analisar um caso de racismo ocorrido em jogo do Campeonato Gaúcho, em janeiro.

Os auditores da maior corte nacional do futebol do Brasil votaram e de forma unânime negaram recurso do Brasil de Pelotas, que recorreu contra inquérito conduzido pelo TJD/RS que concluiu que houve discriminação racial em três momentos distintos de torcedores do Xavante contra atletas do Grêmio, que utilizava um time formado por jovens e reservas na ocasião. O placar terminou 1 a 1.

Mas a história do jogo não acabou após o apito final. Goleiro reserva, Adriel desabafou nas redes sociais e então a Procuradoria do TJD/RS denunciou o Brasil-RS por tripla inflação ao Artigo 243-G do CBJD. A Comissão Disciplinar do Tribunal, então, puniu o clube nas três condutas com multa de R$ 30 mil, perda de dois mandos de campo e afastamento de 900 dias do torcedor identificado pelos atos racistas da praça de desporto.

"Desde já quero que vocês saibam que eu nunca me posicionei para falar sobre racismo ou qualquer outro tipo de preconceito, mas hoje ouvi muitas ofensas da torcida adversária, tanto eu como meus companheiros, ofensas racistas e de baixo calibre, 'ei negão vira servente de pedreiro', triste isso. Mais triste ainda é saber que isso vai acontecer de novo, não só aqui mas no mundo todo, está virando palhaçada, não basta só protestar, tem que ter medidas drásticas."

Adriel, goleiro do Grêmio, em janeiro

Punido, o Brasil de Pelotas procurou o Pleno local e recorreu, sendo absorvido nas duas primeiras denúncias. Já na terceira infração, o clube foi penalizado com multa de R$ 10 mil e a perda de um mando de campo. O Xavante, então, recorreu novamente, no STJD do Futebol, a última instância nacional, e perdeu.

Com o veredito, o Brasil-RS vai pagar R$ 30 mil em multa, ter que atuar dois jogos com os portões fechados e ter que impedir o torcedor identificado pelos atos racistas de acessar a praça do desporto por 900 dias.

facebooktwitterreddit