Opinião

Sem demonizar! Raphael Veiga falhou porque é, simplesmente, um ser humano - e demonstrou isso em suas palavras

Fabio Utz
Veiga desperdiçou dois pênaltis diante do São Paulo nesta quinta
Veiga desperdiçou dois pênaltis diante do São Paulo nesta quinta / Alexandre Schneider/GettyImages
facebooktwitterreddit

Há jogadores e jogadores! Há aqueles que se acham acima do bem e do mal e, por vezes, até forçam o erro para mostrar algum descontentamento. E há aqueles que erram, simplesmente, por serem serem humanos. É o caso de Raphael Veiga.

Ao desperdiçar dois pênaltis diante do São Paulo, sendo um no tempo normal e outro na disputa de tiros livres, deixou o gramado como uma espécie de vilão do Palmeiras, eliminado ainda nas oitavas de final da Copa do Brasil. Mas...isso não seria um exagero? Não só seria como é! Estamos falando de um jogador que deixa tudo em campo, que já foi decisivo outras inúmeras vezes e que, nesta quinta-feira, falhou. Apenas isso.

Falhou como qualquer um poderia falhar. Ele não chutou nas nuvens por vontade própria. Ele não parou nas mãos do goleiro Jandrei por displicência. Aconteceu, faz parte do futebol. E suas palavras pós-clássico deixam ainda mais claro que estamos falando, somente, de um ser humano. Que comemora quando tem que comemorar e que sente o peso da derrota no momento em que ela acontece.

É bola para frente! Todo jogador passa por situações como essa! E só aqueles que têm caráter conseguem superar.

TEXTO DE RAPHAEL VEIGA NAS REDES SOCIAIS

Não tem ninguém nesse mundo mais chateado que eu depois desse jogo.

A vida é muito louca. Há um mês me intitulavam como um “dos caras” para bater um pênalti. Hoje errei dois no mesmo jogo.

Já fui decisivo em jogo grande. Acertei o pênalti de maior responsabilidade da minha carreira e errei hoje.

Nem nunca e nem sempre. É isso.Nem o melhor e nem o pior.

Errar às vezes, assumir as responsabilidades SEMPRE.

facebooktwitterreddit