Santos sondou dois treinadores argentinos antes de fechar com Jesualdo Ferreira

Antonio Mota
Velez v Defensa y Justicia - Superliga 2019/20
Velez v Defensa y Justicia - Superliga 2019/20 / Jam Media/Getty Images
facebooktwitterreddit

Primeira opção? Em entrevista concedida ao jornalista Fellipe Camargo, Matheus Rodrigues, membro do Comitê de Gestão do Santos, revelou que o Peixe tentou fechar com dois treinadores argentinos – incluindo “braço direito” de Sampaoli – antes de fechar com o português Jesualdo Ferreira.



De acordo com informações do ‘Diário do Peixe’, o Alvinegro ouviu o ‘não’ de Gabriel Heinze, que era a preferência da diretoria. “Um dos principais nomes cotados era do Gabriel Heinze, que agora está sem clube, mas que no momento em que foi procurado, disse que tinha contrato até o meio do ano e iria cumprir”, afirmou.

Sem Jorge Sampaoli, Gabriel Heinze, à época no Vélez Sársfield, era a primeira opção.
Sem Jorge Sampaoli, Gabriel Heinze, à época no Vélez Sársfield, era a primeira opção. / Marcelo Endelli/Getty Images

Em seguida, Rodrigues disse que o Santos também recebeu a negativa de Jorge Desio (auxiliar técnico de Sampaoli). “Ele não quis abrir mão de continuar o seu trabalho ao lado do Jorge Sampaoli. Informalmente, houve uma conversa com o Desio. Era uma ideia que agradaria aos atletas e a nós, da diretoria, mas por uma posição pessoal ele não quis. Gostaríamos, sim, era uma boa, tinha o elenco na mão e uma linha de trabalho que seguimos. Tudo isso foi antes de fecharmos com o Jesualdo”, concluiu.



Sem acerto com a dupla, o Peixe se acertou com Jesualdo Ferreira, que foi anunciado com pouco menos de um mês após Jorge Sampaoli deixar a Vila Belmiro. Até o momento, ele soma 12 partidas, com 6 vitórias, 3 empates e 3 derrotas, além de liderança do Grupo A do Campeonato Paulista e do Grupo G da Copa Libertadores.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique aqui.

facebooktwitterreddit