Atlético MG

Rodrigo Caetano justifica escolha por Mohamed comparando ideias do argentino às de Cuca

Fabio Utz
Argentino foi um dos seis entrevistados pelo clube mineiro
Argentino foi um dos seis entrevistados pelo clube mineiro / Francisco Vega/GettyImages
facebooktwitterreddit

A saída de Cuca do Atlético-MG surpreendeu. A contratação de Antonio Mohamed como seu substituto, de certo modo, também. O argentino foi um dos seis nomes entrevistados pela direção do Galo durante o processo de escolha do treinador para 2022. Pois em entrevista ao programa Mesa Redonda, da TV Gazeta, o diretor de futebol Rodrigo Caetano deu detalhes de como se deu a escolha por 'El Turco'.

Cuca Técnico Atlético-MG Treinador Saída 2022
Saída de Cuca surpreendeu os dirigentes do Galo / Buda Mendes/GettyImages

Na visão do dirigente e de quem participou do processo, o profissional tem uma característica importante: vai modificar o menos possível o modo de o time atuar. "As equipes as quais ele dirigiu se assemelham muito com a forma do Cuca jogar e, também, do Eduardo Coudet, que foi um treinador que trabalhou comigo no Internacional e que sempre teve o Antonio Mohamed como uma espécie de mentor na forma de agredir o adversário já no campo de ataque", disse.

Eduardo Coudet Técnico Treinador 2022 Celta de Vigo
Coudet tem 'El Turco' como espécie de mentor / Fran Santiago/GettyImages

Outro fator tem relação direta com o que o Atlético-MG já havia deixado explícito em comunicado à torcida. O clube não tinha a intenção de abrir mão de profissionais que estavam dando resultado positivo. "É uma premissa básica nossa aqui no Galo que não tivéssemos a vinda de um treinador que modificasse por completo a nossa comissão técnica permanente, que nós entendemos ser de muito bom nível", completou.

E SOBRE A SAÍDA DE DIEGO COSTA?

Conforme Rodrigo Caetano, desde que Diego Costa foi contratado, no meio do ano, o centroavante sempre esteve receoso quanto a adaptação da família a uma nova realidade, afinal, ele nunca tinha jogado no Brasil. Além disso, vinha de um longo período de inatividade - oito meses. Por isso, por mais que o vínculo ainda fosse longo, sempre se deixou aberta a possibilidade de uma saída em dezembro.

"Ele nos procurou manifestando o desejo de que pudesse retornar ao convívio da família e realmente alegou essa questão da adaptação. Nós entendemos que deveríamos aceitar esse pedido por parte dele, tanto que voltou à Europa e está lá até agora para decidir o caminho dele."

Rodrigo Caetano, sobre Diego Costa

Para mais notícias do Atlético Mineiro, clique aqui.

facebooktwitterreddit