Fluminense

Quero Meias de Natal!

Fabio Sá
Flu chegou à pré-Libertadores, mas precisa de reforços para se consolidar no cenário
Flu chegou à pré-Libertadores, mas precisa de reforços para se consolidar no cenário / Wagner Meier/GettyImages
facebooktwitterreddit

Ninguém quer meias de Natal, só eu. Meias são o símbolo do presente errado, preguiçoso, insosso.

Não pra mim, não no Fluminense. Depois de literalmente jogarmos fora quatro gerações de Meias - Gerson, Scarpa, Marcos Paulo e Miguel - temos sido obrigados a sobreviver aturando um futebol sem graça, sem talento, sem criatividade, sem Meias. Lotado de volantes, pontas e atacantes, mas sem nenhum Meia.

Fred, Gustavo Scarpa, Gerson
Gerson e Gustavo Scarpa surgiram no Flu / Matthew Stockman/GettyImages

Nos enganamos com Meias falsos, tão preguiçosos e insossos quanto os presentes de Natal indesejados. Meias furados, como o ex-jogador em atividade Paulo Henrique Ganso, o esforçado vovô Nenê e o rei do camarote Cazares. Todos Meias de DVD, daqueles de iludirem os bobos incautos que adoram chegar a conclusões baseados nos 5 minutos de Melhores Momentos. Fora o Nenê, que até ajudou um pouquinho (mas de quem não sinto saudades), os demais só serviram para somar à eterna sangria da folha.

Não temos Meias. O Yago não é meia, e sim um camisa 8 decente. O Arias não é meia, ou, se é, não é o Meia que precisamos - até serve pra botar um fogo no segundo tempo, mas não podemos viver só disso.

Paulo Henrique Ganso
Ganso teve lesão no braço na reta final da temporada e não mais voltou até então / Buda Mendes/GettyImages

Hoje temos um plantel razoável. Se o time encaixar e, principalmente, se a barca zarpar levando com ela todo o peso das âncoras do ano que passou (a começar pelos falsos Meias PHG e Cazares), pode até ser que tenhamos um time competitivo para competições mata-mata (esquece pontos corridos).

Temos um goleiro bom, apesar de imperfeito. Temos 4 zagueiros (Nino, Lucas Claro, David Braz e Felipe Melo) que podem formar uma boa dupla de zaga. Não temos lateral-direito (Samuel é só esforçado e o Calegari é um bom volante). Definitivamente não temos lateral-esquerdo, mas parece que esse Cristiano pode vingar. Temos ótimos volantes no André e Martinelli, com opções razoáveis de banco. Temos seis opções pra duas vagas na frente, sendo três mais centralizadas (Fred, Willian, JK) e três mais abertas (Caio, LH e Biel).

Mas não temos Meias. Nenhum, zero.

E eu só ouço falar em centroavantes. Ricardo Goulart, Cano, Gilberto. Beleza, eu queria qualquer um desses três, porque precisamos preparar a saída do Fred e caras desse naipe não ficam dando sopa no mercado muito tempo. Justo.

Mas cadê os meus Meias?

O medo que me dá disso é pensar que vamos continuar jogando nesse “sistema” suicida de deixar toda a posse pro time adversário. Sem Meias, não tem como ter posse. Nem passe. Nem qualidade. É aquele "deus nos acuda" de tentar achar um gol e se defender até o apito final. Como jogavam o Odair, o Roger e o Marcão. Sofrimento 90 minutos.

Abel, sei que você não vai ganhar o Deco, o Conca, nem o TNeves (deus me livre) de Natal. Aquele time de 2012 nunca mais. Mas peça Meias de Natal. Vá buscar no Coritiba, no Botafogo, no Cuiabá, no Atletico-GO, na MLS, na Argentina. Mas não aceite um elenco sem Meias.

Abel Braga
Abel está de volta ao Flu / Alexandre Loureiro/GettyImages

Sem Meias, o futebol está fadado a morrer de preguiça e de covardia. E nós, de sofrimento e angústia.

Eu só quero Meias de Natal. O resto é brinde.

Saudações Tricolores

facebooktwitterreddit