Querer não é poder! Situação financeira delicada faz Inter negar constantes pedidos de Coudet por reforços

Fabio Utz
Getty Images/Getty Images
facebooktwitterreddit

Se Eduardo Coudet insiste na necessidade de um elenco mais robusto para a disputa de Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores, a diretoria do Internacional vem a público para reafirmar que não tem está em condições de fazer novas contratações. E o motivo é simples: a situação financeira do clube.

Como salienta o blog do Rodrigo Mattos, ao final de 2019 o Colorado já acumulava uma dívida líquida de R$ 794 milhões. Ao final dos oito primeiros meses de 2020, este valor saltou para R$ 851 milhões, conforme o próprio balancete vermelho. Durante os primeiros meses da atual temporada, se as receitas foram de apenas R$ 173,7 milhões, as despesas chegaram a R$ 166 milhões. Como o Inter possui, também, custos financeiros, administrativos e gerais, o déficit acumulado no período foi de R$ 58 milhões.

"Para financiar esse buraco, houve um aumento no débito em empréstimos a longo prazo (R$ 39 milhões) e em impostos e obrigações sociais (R$ 27 milhões). (...) Como boa parte das receitas de TV ficou para 2021, assim como premiações de Copa do Brasil, o Internacional não vive um cenário em que dê para investir mais no time", diz Mattos. Ou seja, está aí a explicação para que os desejos de Coudet, no momento, tenham que ficam em absoluto segundo plano.

Para mais notícias do Internacional, clique aqui.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.

facebooktwitterreddit