Futebol Internacional

Elenco rachado? Derrotas trazem clima tenso no vestiário do PSG

Matheus Nunes
Clima ruim se intensificou após derrota para o Monaco por 3 a 0
Clima ruim se intensificou após derrota para o Monaco por 3 a 0 / CLEMENT MAHOUDEAU/GettyImages
facebooktwitterreddit

Primeiro a eliminação na Champions, depois a goleada sofrida diante do Monaco. O momento do PSG não é dos melhores, e o clima no vestiário já começa a ficar pesado, segundo revelou um membro da comissão técnica dos parisienses.

"É como se o vestiário estivesse dividido em dois grupos, o dos sul-americanos e o dos que falam francês", declarou o funcionário do clube. O elenco do Paris reúne nomes como os argentinos Di María, Messi e Paredes, os brasileiros Marquinhos e Neymar, e franceses como Mbappé, Kimpembe e Dagba.

Como em qualquer time, quando os resultados estão vindo não existem conflitos e nem frustrações. Porém, quando a fase não é boa, todas essas questões vêm a tona. Isso se intensificou ainda mais no PSG quando nenhum atleta tomou a frente e se responsabilizou em fazer um discurso para a torcida após a derrota no último domingo.

A rachadura no elenco parece ser aparente até mesmo dentro de campo. O site RMC Sport - que traz uma reportagem falando sobre o clima no vestiário do PSG - colocou como exemplo os casos de Neymar e Hakimi. Quando o brasileiro sofre uma falta, alguns companheiros de clube cercam o árbitro para reclamar, mas o mesmo não acontece quando o mesmo episódio é com o lateral-direito marroquino.

Agora depende de Mauricio Pochettino administrar a situação e encontrar soluções para unir o grupo novamente. O Paris Saint-Germain volta a campo apenas no dia 3 de abril, contra o Lorient-Bretagne Sud, pela Ligue 1.

facebooktwitterreddit