Presidente do Flamengo fala sobre surto interno de Covid-19 e ‘critica’ protocolo da Conmebol

Pedro
Em entrevista, Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, falou sobre jogo contra o Palmeiras e criticou o protocolo da Conmebol Libertadores. | Buda Mendes/Getty Images

Em bate-papo no Redação SporTV, hoje (25), Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, comentou sobre o surto interno de Covid-19 no elenco carioca e o possível adiamento da partida entre o Rubro-Negro e o Palmeiras – a decisão deve sair hoje. Para ele, o protocolo sanitário da Conmebol é menos eficiente do que o da CBF e suspender o jogo é uma questão de segurança.

“Achamos absurdo. Foram muitas pessoas. Coloco em xeque o tratamento que o Flamengo tem. Foi uma coisa excepcional. O protocolo da Conmebol testa dias antes, aumenta o risco. A janela de tempo é muito maior. Você já pode ter jogadores infectados e viajar. Por isso que levamos testes rápidos também. Dessa vez foram dois jogos seguidos no Equador. Quase impossível voltar. Tivemos que nos adaptar a um ambiente que não era nosso CT”, afirmou o cartola.

Os protocolos do Flamengo são seguros. O risco é maior na Libertadores do que no Brasileiro.

completou Landim.

Questionado, Landim comentou sobre a foto (veja acima) dos jogadores sem máscara no avião de retorno do Equador para o Brasil. “É óbvio que, na hora de tirar uma foto, você não fica de máscara. Eu não tiro foto com máscara. Quando vou tirar uma foto, tiro a máscara, prendo a respiração e tiro a foto. Isso acontece com todo mundo. Vamos relevar isso aí. Os jogadores jogam sem máscara, é difícil de conter, é coisa natural. Eles se cumprimentam, se abraçam”, afirmou.

Por fim, o presidente explicou o motivo da solicitação de adiamento da partida entre Flamengo e Palmeiras, ressaltando que o problema não seria a quantidade de atletas rubro-negros infectados, mas sim a exposição de outros jogadores ao vírus.

“A discussão para mim não é o número de jogadores. É o período da janela de infecção. Consultamos infectologistas que nos disseram que a carga viral foi absurda dentro do grupo. Alguns podem ter contraído no último momento, no avião, e é necessário cinco dia para dar um positivo ou não. Vamos deixar um monte de gente possivelmente contaminada jogando?”, completou.

As informações acima são do GE.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.