Flamengo

Presidente do Flamengo atualiza andamento do projeto de construção de estádio: 'É de interesse de todos'

Antonio Mota
Flamengo trabalha para ter o seu próprio estádio.
Flamengo trabalha para ter o seu próprio estádio. / YASUYOSHI CHIBA/GettyImages
facebooktwitterreddit

Finalista da Conmebol Libertadores e da Copa do Brasil e vivo na corrida pelo título da Série A do Campeonato Brasileiro, o Flamengo se movimenta nos bastidores para realizar o 'sonho da casa própria'. Nos últimos meses, o assunto “estádio do Fla” ganhou diversos capítulos dentro e fora do Rio de Janeiro e passou a fazer parte da rotina da equipe.

O presidente rubro-negro Rodolfo Landim respondeu ao blog do Mauro Cesar Pereira neste final de semana sobre o assunto. O cartola foi questionado sobre o tema dias após o Governo do Estado do Rio de Janeiro realizar mudanças no edital de concessão do Maracanã, onde o Flamengo e o Fluminense mandam os seus jogos. A dupla Fla-Flu, aliás, divide a gestão provisória do estádio.

Flamengo é dono de relação antiga com o Maracanã.
Flamengo manda os seus jogos no Maracanã. / Buda Mendes/GettyImages

Landim comentou sobre o que realmente existe em relação ao futuro estádio do Flamengo. “De concreto, o que há é apenas a escolha de sua localização, o terreno do Gasômetro. A luta no momento é conseguir a liberação do terreno para a construção do Estádio”, iniciou o presidente do clube, que explicou a situação.

O dirigente disse que o terreno desejado pelo Flamengo está registrado em nome de um fundo gerido pela Caixa Econômica Federal. E mais, que o fundo detém, “associado a este terreno, um CEPAC (Certificado de Potencial Adicional de Construção) emitido pela Prefeitura e aprovado pela Câmara dos Vereadores do RJ. Isto significa o direito de ter uma maior área construída no referido terreno. Este CEPAC pode ser transferido para outro terreno, mas depende de autorização da Prefeitura (e o prefeito já se declarou favorável a fazer isto) e aprovação dessa transferência (a ser dada pela Câmara dos Vereadores)”.

Por fim, Rodolfo Landim falou que “a construção do estádio é de interesse de todos”. “A Prefeitura sabe que ela ajudará a revitalização de uma área do Porto Maravilha que não ‘decolou’. O mesmo podemos dizer dos gestores da CEF, já que existem outros terrenos com altos valores de CEPAC por ali que seriam valorizados”.

“O que estamos construindo com todos os atores citados é uma forma de liberar o terreno para a compra pelo Flamengo com todas as aprovações necessárias. Este resumo que fiz é para se ter a ideia dos atores envolvidos no assunto e das tratativas necessárias prévias à compra do terreno que estão em andamento. É o que dá para comentar”, finalizou o presidente.

facebooktwitterreddit