Reportagem especial

Por que temos tão poucos jogadores brasileiros em ação na Bundesliga?

Nathália Almeida
Paulinho é um dos poucos brasileiros em ação na Bundesliga
Paulinho é um dos poucos brasileiros em ação na Bundesliga / Jörg Schüler/Getty Images
facebooktwitterreddit

Na próxima sexta-feira, 13 de agosto, um dos campeonatos europeus mais fortes e atraentes em termos de estilos e estratégias de jogo, terá o seu aguardado pontapé inicial: a Bundesliga. Em que pese o fato de não ter conhecido muitos campeões distintos ao longo dos últimos 15 anos - o Bayern de Munique tem sido realmente soberano a nível nacional -, o Alemão segue despertando atenção justamente pela qualidade de seus chamados "times intermediários", além do fato de contar com um leque infinito de jovens talentos em ascensão.

Reinier
Reinier atua no Dortmund, emprestado pelo Real Madrid / Lars Baron/Getty Images

Contudo, na contramão do que vemos nas outras quatro grandes ligas europeias, a Bundesliga não é um campeonato no qual você encontrará um jogador brasileiro "por metro quadrado". Muito pelo contrário, na verdade: apesar do Campeonato Alemão contar com 295 atletas estrangeiros (55,3%) em sua edição 2021/22, somente 10 deles são brasileiros, ou seja, jogadores oriundos do nosso país representam apenas 3,4% do universo em ação neste torneio.

Indo mais além, o Brasil é apenas a sexta nação com mais representantes no torneio, atrás de Dinamarca (15), Holanda (20), Suíça (20), Áustria (26) e França (37), ao passo que em todos os outros quatro grandes campeonatos europeus - Ligue 1, Serie A Tim, LaLiga e Premier League -, nosso país figura ao menos entre os três primeiros em número de atletas. Os dados são do Transfermarkt.

Matheus Cunha
Campeão olímpico, Matheus Cunha é jogador do Hertha Berlin / Boris Streubel/Getty Images

Como explicar esse esvaziamento de brasileiros na Bundesliga?

O futebol alemão sempre recebeu jogadores brasileiros "de braços abertos", não à toa conhecemos inúmeros casos de atletas nossos que fizeram história por lá. Paulo Sérgio, Giovane Élber, Rafinha, Grafite, Amoroso, Zé Roberto, Aílton e tantos outros marcaram seus respectivos nomes no rol dos grandes da Bundesliga, o que nos faz questionar: o que aconteceu para que isso mudasse e a presença brasileira nos gramados alemães se tornasse tão escassa?

Com o objetivo de responder essa pergunta, conversamos com Jan Kupitz, editor-chefe de conteúdo do 90min Alemanha, que apontou alguns fatores bastante interessantes como possíveis explicações para este "sumiço" de brasileiros na primeira divisão nacional.

"Nos últimos anos, os clubes da Bundesliga têm observado jogadores especialmente da Ligue 1 e da Ligue 2 - este é o novo mercado alvo para clubes alemães. Podemos observar os jogadores da liga francesa 'à nossa porta e eles normalmente são muito baratos. E esse fator é uma das principais razões na minha opinião: jogadores brasileiros ficaram muito caros. A Bundesliga não tem mais o poder financeiro para gastar muito dinheiro. Os clubes alemães procuram ligas menores aqui para pagar taxas de transferência baixas. Além da França, também a Holanda e a Escandinávia estão ganhando mais atração dos olheiros alemães", afirmou.

Augsburg Iago
Iago, ex-Inter, também atua na Alemanha / RONNY HARTMANN/Getty Images

Para exemplificar o seu ponto de vista, Jan lembrou de um caso recente envolvendo um importante clube do futebol alemão, o Bayer Leverkusen, que ainda aguarda o "desabrochar" de Paulinho três anos após sua contratação junto ao Vasco da Gama:

"Veja Paulinho e Bayer Leverkusen: ele custou quase 20 milhões de euros quando chegou - o que é muito para os clubes da Alemanha (clubes ingleses ririam desse valor) -, mas até agora não justificou esse preço alto. Então, por que correr riscos quando você pode comprar um talento da Ligue 1 por quase metade do dinheiro?", argumentou.

Paulinho Bayer Leverkusen
Paulinho custou caro aos cofres do Leverkusen / VI-Images/Getty Images

Mentalidade e disciplina tática são outros fatores que podem colaborar na explicação para esta queda de prestígio de brasileiros na Bundesliga.

"Os clubes alemães focam muito na disciplina, todo jogador da equipe tem que trabalhar e colaborar também na defesa. E do jeito que conhecemos os atacantes brasileiros... Isso não é muito a deles. Penso de imediato em Matheus Cunha, por exemplo"

Jan Kupitz, editor do 90min Alemanha

E quem são os brasileiros na primeira divisão do futebol alemão?

William de Asevedo Furtado
William atua no Wolfsburg / Lukas Schulze/Getty Images

Ao longo deste artigo, você se deparou com alguns brasileiros que hoje disputam a Bundesliga. Vários deles são bem conhecidos do grande público e estiveram, recentemente, representando a Seleção Brasileira que conquistou a medalha de ouro nas Olimpíadas. Outros, no entanto, atuam fora do país há longa data e já não estão mais tão frescos na memória do torcedor tupiniquim.

Sem mais delongas, vamos aos nomes:

  1. Matheus Cunha - 22 anos - Centroavante - Hertha Berlin
  2. Reinier - 19 anos - Meia Ofensivo - Borussia Dortmund
  3. Paulinho - 21 anos - Ponta Esquerda - Bayer Leverkusen
  4. Tuta - 22 anos - Zagueiro - Eintracht Frankfurt
  5. Paulo Otávio - 26 anos - Lateral Esquerdo - Wolfsburg
  6. Wendell - 28 anos - Lateral Esquerdo - Bayer Leverkusen
  7. Iago - 24 anos - Lateral Esquerdo - Augsburg
  8. William - 26 anos - Lateral Direito - Wolfsburg
  9. João Victor - 27 anos - Ponta Esquerda - Wolfsburg
  10. Danilo Soares - 29 anos - Lateral Esquerdo - VfL Bochum

A Bundesliga 2021/22 começa nesta sexta-feira (13), com o atual campeão, Bayern de Munique, enfrentando o Borussia Mönchengladbach. A partida acontece no Borussia-Park, a partir das 15h30 de Brasília.

facebooktwitterreddit