Flamengo

Polêmica com Gabigol e indiretas para Jorge Jesus: Rui Vitória volta ao radar do Flamengo

Lucas Humberto
Recentemente demitido do Spartak Moscou, treinador luso é alternativa
Recentemente demitido do Spartak Moscou, treinador luso é alternativa / SOPA Images/GettyImages
facebooktwitterreddit

A reta final de 2021 será decisiva para o futuro do Flamengo em 2022. Entre domingo e quarta-feira, os cartolas Marcos Braz e Bruno Spindel terão múltiplas reuniões para decidir quem irá ocupar a área técnica rubro-negra no ano que vem. Jorge Jesus, Paulo Sousa, Paulo Fonseca, Carlos Carvalhal e Rui Vitória estão entre os postulantes.

A principal novidade fica por conta da presença de Vitória, que entrou no radar carioca após ser demitido do Spartak Moscou, da Rússia, na última quarta-feira. Dois dias antes do adeus, a equipe acabou caindo ante o FK Sochi, por 3 a 0, em duelo válido pelo torneio nacional local. Aos 51 anos, o treinador deixa o clube depois de sete meses, com nove vitórias, seis empates e 11 derrotas.

Apesar do retrospecto recente não parecer dos melhores, o comandante se despede em alta. Através de nota, o clube tratou de elogiá-lo pela classificação rumo às oitavas de final da Europa League: "O português ficará para sempre na história do Spartak como o treinador que levou a equipa dos primeiros lugares do grupo aos playoffs da Liga Europa", ressaltou.

Tendo seus principais feitos ligados ao Benfica, o técnico comandou as Águias entre 2015 e 2019. Foram mais de 180 partidas, que renderam cinco títulos, incluindo duas taças da Primeira Liga de forma consecutiva (2015/16 e 2016/17). Curiosamente, durante o período, Vitória colecionou rusgas com dois dos maiores ídolos flamenguistas do século XXI: Gabriel Barbosa e Jorge Jesus.

Aliás, Rui é considerado um dos principais responsáveis pelo fracasso do camisa 9 em solo luso. Além de não ter permitido ao centroavante ter uma longa sequência de jogos, ele ainda ironizou o apelido do atleta: "A primeira coisa que eu gostaria de dizer é que não é Gabigol, é Gabriel. Esse (nome) Gabigol é coisa de artista, e não gosto de chamar meus jogadores assim. É Gabriel".

Para Mister as invertidas costumam ser ainda mais diretas (e até agressivas): "Para ser treinador ele tem de ser muito mais. Para conduzir um Ferrari é preciso ter um andamento para ele, vamos ver se aquele Ferrari continua a andar", afirmou em coletiva. Vale lembrar que o caminho de Vitória e Flamengo se cruzou em outras ocasiões.

Rui Vitoria Spartak Europa League Flamengo Jorge Jesus Benfica
Rui Vitória fez um grande trabalho na Europa League / SOPA Images/GettyImages

Além de Benfica e Spartak, o comandante também esteve na beira dos gramados de CD Fátima, Paços Ferreira e Vitória, de Portugal, bem como Al-Nassr, da Arábia Saudita, onde levantou seus dois últimos troféus na carreira. Embora tenha um currículo imponente, o extracampo polêmico está sendo reprovado pela torcida nas redes sociais. Será que as tratativas avançam?

facebooktwitterreddit