Barcelona

Piqué, sobre atuação apática do Barcelona na Champions: 'Somos o que somos agora'

Nathália Almeida
Barcelona nem viu a cor da bola contra o Bayern
Barcelona nem viu a cor da bola contra o Bayern / David Ramos/Getty Images
facebooktwitterreddit

Referência para os mais jovens e ídolo do torcedor, Piqué não se esquivou dos microfones após o apito final que selou nova derrota do Barcelona para Bayern de Munique, na rodada inaugural da Champions League. Dando a "cara a tapa", o experiente zagueiro deu a entender que há pontos a serem valorizados na atuação da equipe catalã, mas que o torcedor precisa entender e tomar consciência sobre o momento institucional do clube, imenso em uma grande crise financeira e esportiva.

"Acho que o resultado é pesado e ruim, tendo em vista que jogamos em casa. Mas, se você assistir ao jogo, perceberá que competimos bastante no primeiro tempo e eles saíram na frente com um gol de rebote. O 2x0 nos machuca. Fico com os garotos de 18 anos entraram, o time mostrou a cara, competiu. É o que é, somos o que somos agora e espero que cheguem mais jogadores. É um ano complicado. Eles têm sido superiores, mas nós temos as bases para seguir competindo Veremos no final da temporada, mas temos pessoas como Ansu e Kun, que podem nos ajudar", afirmou.

Gerard Pique, Yusuf Demir, Philippe Coutinho
Barcelona terminou a partida com zero finalizações / Quality Sport Images/Getty Images

Perguntado sobre as vaias direcionadas à Sergi Roberto - um dos mais perseguidos pelo torcedor do Barcelona presente no Camp Nou -, o zagueiro saiu em defesa de seu companheiro: "As vaias me machucaram muito porque eu o conheço como pessoa, ele é um ser humano espetacular e ama este clube mais do que tudo. Gostaria de lembrar às pessoas que ele não é um ala. Ele é meio-campista e faz o sacrifício para se adaptar. As pessoas são livres para se manifestar, mas pessoalmente me dói muito", concluiu.

facebooktwitterreddit