Pia projeta Olimpíadas e exalta evolução do futebol feminino no Brasil: 'Abraçou a mudança'

Nathália Almeida
Dec 30, 2020, 12:32 PM GMT-3
France v Brazil - Women Tournoi de France
France v Brazil - Women Tournoi de France | Catherine Steenkeste/Getty Images
facebooktwitterreddit

Contratada em meados de 2019 para liderar uma revolução no nosso futebol feminino, Pia Sundhage já está totalmente em casa no Brasil. Cada vez mais adaptada ao novo país - sem esconder seu amor e admiração pelas 'brasilidades', se dedicando integralmente para conhecer nossa língua, arte e cultura -, a sueca fechou o ano com 75% de aproveitamento à frente da Seleção Brasileira, resultados positivos que são fruto de muito estudo e trabalho coletivo.

Em uma longa entrevista concedida ao UOL Esportes, a treinadora de longo e vitorioso currículo falou sobre diversos assuntos: revelou como foi o convite feito pela CBF, detalhou sua visão sobre o avanço da modalidade ao longo das últimas décadas e projetou os Jogos Olímpicos de 2021, em que as esperanças do torcedor brasileiro pelo inédito ouro no futebol feminino estão renovadas.

Brazil v China
Brazil v China | Fred Lee/Getty Images

Aos olhos da treinadora, um longo caminho foi percorrido pela modalidade e suas protagonistas ao longo das últimas décadas. Para ela, o Brasil também está se movimentando para mudar sua realidade na modalidade, dando passos importantes em busca da equidade de gênero no esporte.

"Quando comecei a jogar, meu primeiro jogo internacional foi em 1975, a gente não era reconhecida. E foi assim por muito tempo. Eu sei como é não ser reconhecida. Cada geração foi lutando por esse reconhecimento e deixando um legado para a geração seguinte. Quando estive aqui pela primeira vez, confesso que não vi tantas mulheres na CBF. Mas, agora, vejo. Portanto, há uma palavra muito importante: mudança, e parece que o Brasil abraçou a mudança. Porque se você é um verdadeiro amante do futebol, não importa se são mulheres ou homens jogando, jovens ou velhos, você vai apreciar um bom jogo. Você enriquece se também disser sim ao futebol feminino. O futebol feminino não é importante só para o esporte, mas para a sociedade. Pode ser o futuro de muitas meninas que buscam espaço. A igualdade é necessária", afirmou.

International Friendly"Women: The Netherlands v Brazil"
International Friendly"Women: The Netherlands v Brazil" | ANP Sport/Getty Images

Perguntada sobre as Olimpíadas, Pia demonstrou confiança no seu grupo de jogadoras e revelou estar ansiosa para o torneio: "Temos um bom plano tático. Existem jogadoras jovens que ainda têm chance de fazer parte das 18 atletas que serão convocadas para o torneio. É um campeonato difícil, com poucos dias de descanso entre os jogos, e, assim que você chega às quartas de final, tudo pode acontecer. Agora, o foco é treinar e se manter saudável, em forma, para chegar ao meio do ano com tudo. Vou dizer que estou realmente ansiosa para as Olimpíadas", concluiu.

facebooktwitterreddit