Futebol Feminino

Para além da taça: o que significa o Brasileirão Feminino para Corinthians e Internacional

Lucas Humberto
Brabas do Timão e Gurias Coloradas chegam ao duelo derradeiro do Brasileirão Feminino com esperanças opostas e um único objetivo em mente: vencer
Brabas do Timão e Gurias Coloradas chegam ao duelo derradeiro do Brasileirão Feminino com esperanças opostas e um único objetivo em mente: vencer / Alex VIana/Agência F8/Gazeta Press
facebooktwitterreddit

Neste sábado, 24, Corinthians e Internacional entram em campo sabendo que, ao final dos 90 minutos - ou quem sabe das penalidades máximas -, um dos times levará para casa a taça do Brasileirão Feminino 2022. Mas, no duelo dos velhos rivais interestaduais, há muito mais em disputa do que um honroso troféu.


Corinthians: em busca da reafirmação de uma hegemonia

As Brabas do Timão marcaram presença nas cinco últimas decisões de Brasileirão Feminino - isso sem contar a atual edição. Dessas, as paulistas venceram três, sendo duas de forma consecutiva. Em 2021, vale lembrar, o domínio foi histórico. Dono da melhor campanha da primeira fase, o Corinthians passeou nos embates eliminatórios.

Kindermann, Ferroviária e, por fim, Palmeiras. Todos caíram. No âmbito continental, a soberania foi igualmente expressiva. Seis vitórias, 24 gols feitos, dois sofridos e mais uma taça, esta da Libertadores. Era o ápice de um time com ares de seleção. Na sequência, porém, vieram as provações. Em 2022, enquanto oponentes se reforçavam, Arthur Elias parecia perder ímpeto.

Entre lesões e despedidas, o Timão nunca esteve tão próximo de ver sua dinastia ruir. Mas, aos trancos e barrancos, desafiou prognósticos para mostrar que nem sempre o declínio acontece imediatamente depois do ápice. Em direção ao duelo derradeiro, as Brabas buscam reafirmar sua hegemonia com a consciência de que a história nunca as esquecerá.


Internacional: em busca do primeiro passo em direção ao eterno

As Gurias Coloradas conhecem bem o caminho até o lugar mais alto do pódio. Em 2019, o Internacional conquistou o Brasileirão Feminino Sub-18. Em 2020, levou para casa a taça do Sub-16. Em 2022, vieram dois troféus das categorias inferiores: Sub-17 - com uma campanha de 100% de aproveitamento, diga-se de passagem -, e, por fim, o Sub-20.

Era questão de tempo até que tamanha organização e investimento a longo prazo refletisse no time principal. Chegou o momento. Contra o Corinthians, a equipe de Maurício Salgado busca o título inédito da Série A1 que será, também, a primeira taça nacional do futebol gaúcho desde que as agremiações reabriram os departamentos da modalidade.

Em notável salto de qualidade, o Inter encerrou a primeira fase desta edição do Brasileiro Feminino na terceira colocação com 33 pontos, dez vitórias, três empates e duas derrotas. Como visitante, o time ostenta uma marca de seis triunfos em nove oportunidades, No mata-mata, o clube ainda não perdeu. Em direção ao eterno, as Gurias Coloradas não se escondem dos desafios.


Para além da glória, dinheiro

Em ano de recordes de público, a CBF anunciou uma premiação tão histórica quanto a edição do Brasileiro. Ao vencedor, será pago R$ 1 milhão. As cifras são cinco vezes maiores do que as pagas ao Corinthians pelo último título. Quem ficar em segundo lugar fatura R$ 500 mil. A decisão, que acontece na Neo Química Arena, você acompanha a partir das 14h de Brasília deste sábado, 24.

facebooktwitterreddit