Copa Libertadores

Palmeiras repete tática que já deu certo e, após sequência pesada no Brasileirão, poupa atletas na Libertadores

Fabio Utz
Abel Ferreira que evitar lesões em um elenco que já é curto, segundo ele
Abel Ferreira que evitar lesões em um elenco que já é curto, segundo ele / Alexandre Schneider/GettyImages
facebooktwitterreddit

O Palmeiras faz uma Libertadores, até o momento, sem qualquer tipo de sobressalto. Nas duas partidas realizadas, sobrou, goleando Táchira (4 a 0) e Independiente Petrolero (8 a 1). Pois para o compromisso desta quarta-feira, contra o Emelec, no Equador, o técnico Abel Ferreira vai repetir uma tática que deu certo: poupar jogadores.

Nos últimos três jogos pelo Campeonato Brasileiro (Goiás, Flamengo e Corinthians), o português mandou a campo sua base titular. Agora, fica impossível manter esta sequência. "Eu gosto de arriscar, mas há um limite", disse o treinador, antes de ser ainda mais enfático. "Um jogo, dois jogos, três jogos, quatro jogos seguidos, chega uma altura que vão se lesionar. Eu não quero que se lesionem, sabem que acredito em todos. Estamos tentando fazer essa gestão."

Existem atletas, claro, mais desgastados. Como destaca o GE, o meia Raphael Veiga participou dos últimos dez compromissos da equipe, sendo nove como titular. Já o atacante e o zagueiro Gustavo Gómez foram a campo em nove oportunidades. Abel Ferreira sempre faz questão de relembrar que possui um grupo curto, com dois jogadores por posição. Para complicar ainda mais esta mescla, o volante Jailson rompeu o ligamento cruzado do joelho direito e ficará inativo por, no mínimo, seis meses após realização de cirurgia.

Para mais notícias do Palmeiras, clique aqui.

facebooktwitterreddit