Palmeiras

Jorge é vítima de violência nas proximidades do CT do Palmeiras; Verdão se manifesta

Antonio Mota
Lateral do Palmeiras, Jorge foi abordado quando chegava para treinar
Lateral do Palmeiras, Jorge foi abordado quando chegava para treinar / Ricardo Moreira/GettyImages
facebooktwitterreddit

O Palmeiras publicou comunicado em redes sociais, na manhã desta terça-feira (17), informando que o lateral-esquerdo Jorge sofreu ameaças verbas e teve o carro danificado nos arredores do CT do clube, a Academia de Futebol, na região da Barra Funda, em São Paulo. Em nota, o Alviverde Paulista relatou o ocorrido e lamentou o “inaceitável episódio de violência”.

Conforme a publicação, o jogador foi abordado por dois indivíduos, que fizeram ameaças verbas e quebraram o vidro do seu carro. O clube repudiou o ataque, garantiu que tomará providências jurídicas e criminais para que os responsáveis pelo ato sejam identificados e punidos, e reforçou ainda que esse tipo de evento não pode ser normalizado e lastimou que casos de agressão tenham se tornado comuns no país.

O Palmeiras ainda disse no comunicado que esses agressores não representam a torcida do clube. Formado no Flamengo e com passagens por Monaco, Porto, Santos e Basel, Jorge chegou ao Palmeiras em meados do ano passado. Aos 26 anos, o lateral-esquerdo ficou período ausente por conta de lesão no joelho e estreou apenas em setembro. Até aqui, porém, o camisa 6 não conseguiu entregar o nível projetado.  

Veja abaixo a nota oficial do Palmeiras

"O lateral-esquerdo Jorge foi vítima, na manhã desta terça-feira (17), de um inaceitável episódio de violência praticado por dois indivíduos nas cercanias da Academia de Futebol. O jogador teve o vidro do carro danificado e sofreu ameaças verbais.

A Sociedade Esportiva Palmeiras repudia veementemente este ataque covarde contra o nosso atleta e tomará todas as providências jurídicas e criminais para que os infratores sejam identificados e punidos com o rigor da lei.

Sabemos que este ato não representa a torcida palmeirense. É inadmissível, contudo, que casos de agressão tenham se tornado rotina no futebol brasileiro nos últimos tempos.

A violência não pode ser normalizada; ao contrário, precisa ser combatida com a união de todos os envolvidos no ambiente esportivo.

Somos uma família: a Família Palmeiras! Quando um dos nossos é agredido, todos também somos!

Leila Pereira"

facebooktwitterreddit