Grêmio

Os 3 principais erros do Grêmio na derrota para o Atlético-GO

Fabio Utz
Mancini errou na montagem do time e também nas trocas
Mancini errou na montagem do time e também nas trocas / Alexandre Schneider/GettyImages
facebooktwitterreddit

Para sair do Z-4, só faltou o Grêmio se ajudar. Em mais uma rodada na qual os resultados paralelos foram favoráveis, o Tricolor decepcionou. Embora o bom primeiro tempo diante do Atlético-GO, a derrota por 2 a 0, pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro, se mostrou como incontestável devido a uma atuação abaixo da crítica na segunda etapa e algumas escolhas equivocadas do técnico Vagner Mancini. Abaixo, listamos três erros que foram fatais para mais um tropeço azul na competição - o 14º em 26 partidas disputadas.

1. Escolhas de Mancini na escalação

Paulo Miranda Grêmio Zagueiro
'Experiente', Paulo Miranda sempre foi um zagueiro insuficiente / Buda Mendes/GettyImages

O fato de o Grêmio ter vencido o Juventude no final de semana passado não impedia o técnico Vagner Mancini de fazer mudanças na equipe - pelo contrário. Peças que não estavam à disposição no duelo anterior, como o zagueiro Ruan e o centroavante Borja, agora ficaram no banco, vendo atletas como Paulo Miranda e Diego Souza em campo. O castigo, diante de tais escolhas, não tarda. O defensor, por exemplo, foi expulso ao cometer um pênalti bizarro, enquanto o atacante, totalmente fora de forma, praticamente não viu a cor da bola.

2. Escolhas de Mancini nas trocas

'Quem escala mal, mexe bem'. Nesta segunda-feira, Mancini escalou mal e substituiu pior ainda. Para a entrada de Borja, ele conseguiu tirar Jean Pyerre, que fazia uma boa partida, sob a justificativa de que Diego Souza poderia fazer a armação. Gente, o atacante não tem mobilidade alguma para se posicionar dentro da área, imagina para fazer o jogo fluir. Para completar, o treinador ainda ressuscitou Luiz Fernando...

3. Omissão das lideranças

Rafinha Lateral Grêmio Líder Campeonato Brasileiro
Lateral está suspenso mais uma vez / Wagner Meier/GettyImages

Para não dizer que a derrota foi responsabilidade única de Mancini, os líderes do plantel, exceção feita a Kannemann, mais uma vez se mostraram abaixo da crítica. E aqui falo de Rafinha e Douglas Costa. O lateral voltou a reclamar da arbitragem e discutir com rivais de forma constante, tanto que não parou até levar o cartão amarelo que o deixa de fora do duelo de domingo, contra o Palmeiras. Já o camisa 10 se mostrou displicente o tempo inteiro - até ser substituído. Não acertou uma jogada, errou passes bobos e praticamente não participou das ações ofensivas.

facebooktwitterreddit