Grêmio

Orçamento do Grêmio para 2022 prevê praticamente 40% a menos de receitas em relação a 2021

Fabio Utz
Queda para a Série B repercute de forma imediata nos cofres azuis
Queda para a Série B repercute de forma imediata nos cofres azuis / Silvio Avila/GettyImages
facebooktwitterreddit

A queda para a Série B tem reflexos imediatos nas finanças do Grêmio. E a diferença de arrecadação prevista para 2022, na comparação com 2021, é gigantesca.

Na noite desta quinta-feira, em reunião do Conselho Deliberativo azul, ficou nítida essa disparidade. O Tricolor fechou o terceiro trimestre deste ano com receitas na ordem de R$ 398 milhões. O projetado, até o final de dezembro, é alcançar R$ 467,3 milhões. Para a temporada que vem, conforme números apresentados pela direção, mira-se o patamar de R$ 294,5 milhões, ou seja, 37% a menos.

Desse montante, a previsão é de que R$ 180 milhões sejam destinados ao futebol. Em relação a 2021, a folha salarial tende a cair cerca de R$ 50%, ficando entre R$ 7,5 milhões e R$ 8 milhões mensais. Esta é apenas a primeira consequência do rebaixamento no Campeonato Brasileiro.

Para mais notícias do Grêmio, clique aqui.

facebooktwitterreddit