O XI ideal da Seleção da Itália no século XXI

Nathália Almeida
facebooktwitterreddit

Como seriam as grandes seleções do mundo se pudéssemos reunir, nelas, seus grandes craques de diferentes gerações? Para nós que amamos futebol, projetar equipes que rasgam as fronteiras do tempo, com jogadores de épocas distintas, é um exercício maravilhoso de 'faz de conta'. E o futebol nos permite isso, pois também é sonho e imaginação! Pensando nisso, demos início a mais uma série especial de artigos: o time ideal de cada seleção neste século XXI.

Dona de uma das camisas mais pesadas e tradicionais do futebol, a Itália é, ao lado da Alemanha, a nação que ameaça a supremacia da Canarinho em títulos mundiais. Com quatro conquistas de Copa - a última delas datando de 2006, em uma final tensa contra a França -, a Azzurra tem craque de sobra para esta seleção do século. Será que fizemos justiça a eles? Confira a nossa escalação:


Gianluigi Buffon

Ver essa foto no Instagram

Oggi come 13 anni fa, una gioia incredibile: Campioni del Mondo!

Uma publicação compartilhada por Gianluigi Buffon (@gianluigibuffon) em

Apontado por muitos como o maior goleiro do futebol mundial neste século, Gigi é o camisa 1 natural desta seleção italiana. É uma lenda viva não apenas para seu país, como para o esporte. É o recordista em partidas com a Azzurra, somando 176 partidas ao longo de 21 anos de convocações. São quatro edições de Euro e cinco Copas do Mundo disputadas em seu currículo.


Gianluca Zambrotta

Na lateral-direita desta equipe ideal, temos o ex-jogador de Juventus, Milan e Barcelona, também campeão do mundo em 2006. Beirou a marca centenária de partidas com a camisa da Azzurra (98), sendo o oitavo atleta com mais aparições pela Nacional.


Alessandro Nesta

Abrimos a dupla de zaga com um dos grandes deste século. Alessandro Nesta marcou época com as camisas de Lazio e Milan, conquistando tudo em sua trajetória por clubes. Pela Azzurra, também construiu longa e prolífica carreira, com 78 jogos ao longo de dez anos (1996-2006). Foi campeão do mundo em 2006 e, logo em seguida, anunciou sua aposentadoria da Nacional.


Fabio Cannavaro

Ver essa foto no Instagram

27 November 2006 ?#pallonedoro #balon # #balondeoro #paris #onthisday

Uma publicação compartilhada por ??Fabio Cannavaro?? (@fabiocannavaroofficial) em

É um dos nomes mais cotados no debate de qual é o maior zagueiro dos anos 2000, e com justiça. Tornou-se o primeiro de sua posição, na história do futebol, a conquistar o prêmio Bola de Ouro, consequência de sua excelente temporada com a Juventus e espetacular Copa do Mundo de 2006, quando foi campeão. É o segundo jogador que mais vestiu a camisa da Azzurra, com 136 jogos.


Paolo Maldini

Fechamos a nossa linha defensiva com uma licença poética: Maldini na lateral-esquerda. Ao longo de sua carreira, o zagueiro cumpriu essa função tática em múltiplas ocasiões, portanto, não é o maior dos absurdos! O que fazer quando falamos da maior escola de zagueiros do mundo, certo? Estreou pela Azzurra em 1988 e fez o último jogo em 2002, somando 126 partidas, top-3 nessa estatística.


Daniele de Rossi

Volante que aliava força/imposição física e técnica, Daniele de Rossi foi um dos 'pulmões' da Roma neste século e um dos símbolos do espírito brigador que sempre acompanhou a seleção italiana. Representou a camisa azul ao longo de 13 anos, entre 2004 e 2017, disputando 117 jogos. Também fazia parte do elenco campeão do mundo em 2006.


Andrea Pirlo

O 'maestro' desta seleção é o lendário camisa 21, de incrível trajetória por Milan, Juventus e obviamente, Seleção. Quinto jogador que mais vestiu a camisa azzurri com 116 partidas ao longo de treze anos, Pirlo viveu sua consagração máxima pela Itália justamente em 2006, sendo bastante decisivo naquela Copa do Mundo.


Marco Verratti

Ver essa foto no Instagram

Una partita difficile ed una vittoria emozionante ??

Uma publicação compartilhada por Marco Verratti (@marco_verratti92) em

Rompemos nossa sequência de campeões do mundo com um dos nomes mais talentosos da 'nova geração' italiana. Convocado pela primeira vez para a Azzurra em 2012, o volante é uma das referências técnicas da equipe atual, além de um dos líderes do grupo, por sua considerável rodagem. Já são 36 partidas oficiais pela seleção.


Francesco Totti

Ver essa foto no Instagram

Troppo bello❤️9 luglio 2006??grazie a tutti ?

Uma publicação compartilhada por Francesco Totti (@francescototti) em

Fechamos o nosso setor de meio-campo com mais uma lenda do futebol, não só de seu país, mas do mundo. Maior ídolo da história da Roma, 'il Capitano'' também foi gigante por sua seleção, disputando 58 partidas entre 1998 e 2006. A conquista do mundial na Alemanha foi seu 'ato final' pela Azzurra.


Alessandro Del Piero

Na frente, temos um dos maiores ídolos contemporâneos da Juventus, que também é o quarto maior artilheiro da história da Seleção Italiana. Atrás apenas de lendas do passado como Riva, Piola e Giuseppe Meazza, Del Piero representou a camisa azul em 91 oportunidades, ao longo de treze anos. Fez gols decisivos na campanha do título mundial em 2006.


Christian Vieri

Fechamos nosso time ideal com o centroavante Vieri, que apesar de não ter rompido a marca dos 50 jogos com a camisa da Azzurra, está na história da seleção por seus gols nas horas mais oportunas: é o jogador italiano com mais gols em Copas do Mundo, com 9, ao lado de Baggio e Paolo Rossi. Sua última convocação foi em 2005, um ano antes do título na Alemanha.

facebooktwitterreddit