Copa América Feminina

O XI ideal combinado da fase de grupos da Copa América Feminina

Nathália Almeida
Adriana é um dos grandes destaques da primeira fase da Copa América Feminina
Adriana é um dos grandes destaques da primeira fase da Copa América Feminina / Gabriel Aponte/GettyImages
facebooktwitterreddit

Encerradas as cinco rodadas previstas na fase classificatória da Copa América Feminina, é chegada a hora do tão aguardado mata-mata em Cali, que prevê dois grandes confrontos de semifinais e um valioso duelo pelo quinto lugar, afinal de contas, quarto e quinto colocados do torneio disputarão a repescagem pela Copa do Mundo Feminina de 2023.

Mas antes de falarmos mais a fundo dos confrontos derradeiros e eliminatórios, vamos falar sobre quem se destacou na fase de grupos. A seguir, elencamos em formato de seleção, o XI ideal da primeira fase da Copa América Feminina:


1. Lorena (Brasil)

Lorena
Lorena é a única goleira que não foi vazada na Copa América / Gabriel Aponte/GettyImages

É bem verdade que a solidez do sistema defensivo brasileiro facilitou seu trabalho, mas Lorena foi a única goleira titular a não ser vazada na primeira fase do torneio. Passou ilesa nos 4 jogos disputados, com boas atuações.

2. Limpia Fretes (Paraguai)

Limpia Fretes
Fretes foi a melhor jogadora da linha de defesa do Paraguai / Gabriel Aponte/GettyImages

O Paraguai sofreu sete gols em quatro jogos, uma média ruim para seu sistema defensivo. Contudo, a lateral-direita Limpia Fretes cumpriu muito bem o seu papel, com muita solidez na retarguarda e boa participação ofensiva, somando uma assistência.

3. Rafaelle (Brasil)

Rafaelle
Rafaelle é o pilar defensivo da Canarinho / Gabriel Aponte/GettyImages

Segurança e tranquilidade ao jogar são as marcas registradas de Rafa, uma das melhores zagueiras do mundo na atualidade. Experiente e dominante - com a bola nos pés e no jogo aéreo -, sobrou diante de suas adversárias.

4. Agustina Barroso (Argentina)

Agustina Barroso
Agustina Barroso segue performando em alto nível / Gabriel Aponte/GettyImages

Amplamente conhecida em solo brasileiro - veste a camisa do Palmeiras -, Agustina foi a referência do sistema defensivo albiceleste na primeira fase. É uma zagueira completa, que reúne inteligência, vigor físico e habilidade.

5. Manuela Vanegas (Colômbia)

Manuela Vanegas
Vanegas é muito forte ofensivamente / Omar Vega/GettyImages

A lateral-esquerda teve alguns destaques positivos nesta primeira fase, como Tamires (Brasil) e Stábile (Argentina). Vanegas, no entanto, chamou muita atenção pela qualidade no apoio, terminando a primeira fase com dois gols e no top-6 de jogadoras com mais arremates a gol.

6. Angelina (Brasil)

Angelina Alonso Costantino
Angelina foi o coração do meio-campo canarinho / Aitor Alcalde Colomer/GettyImages

Herdeira da camisa 8 de Formiga, Angelina foi o "destaque silencioso" do meio-campo canarinho. Onipresente, brilhou na distribuição de passes e nos desarmes. É uma jogadora muito moderna e com um futuro brilhante pela frente.

7. Ramona Martínez (Paraguai)

Ramona Martinez
Ramona Martínez se destacou nas assistências / Gabriel Aponte/GettyImages

Se o Paraguai está nas semifinais da Copa América Feminina, seu torcedor precisa muito agradecer o grande desempenho individual de Ramona Martínez. A meio-campista foi responsável diretamente por 4 dos 9 gols anotados pela Albirroja, com um tento e três assistências.

8. Leicy Santos (Colômbia)

Leicy Santos
Camisa 10 da Colômbia deve concorrer ao prêmio de MVP / Gabriel Aponte/GettyImages

Cerebral e habilidosa, a camisa 10 da Colômbia é uma fortíssima candidata ao prêmio de MVP do torneio, especialmente se sua seleção alcançar a grande decisão. A meio-campista do Atlético de Madrid terminou a primeira fase como líder em assistências (4), além de figurar entre as cinco primeiras em dribles e finalizações.

9. Debinha (Brasil)

Debinha
Debinha segue em fase iluminada sob comando de Pia / Gabriel Aponte/GettyImages

Vivendo fase inspirada sob comando de Pia Sundhage, a camisa 9 nem precisou de tantos minutos em campo para brilhar. Titular em apenas dois dos quatro jogos da Seleção Brasileira, Debinha deu uma assistência e anotou quatro gols, sendo um deles, um verdadeiro golaço.

10. Adriana (Brasil)

Adriana
Adriana é a principal artilheira do campeonato / Gabriel Aponte/GettyImages

Não poderíamos deixar de fora deste XI ideal a atual artilheira da edição, né? Fazendo uma competição impecável, a atacante do Corinthians vem mostrando faro de gols apurado, balançando as redes cinco vezes nesta primeira fase.

11. Yamila Rodríguez (Argentina)

FBL-COPA AMERICA-2022-WOMEN-ARG-URU
Yamila Rodríguez vem brilhando no ataque albiceleste / JUAN BARRETO/GettyImages

Fechamos este onze ideal com mais uma atacante explosiva e letal. Ainda que Estefanía Banini e Bonsegundo sejam os nomes mais badalados do sistema ofensivo albiceleste, Yamila é quem vem brilhando, somando quatro gols e duas assistências. Olho nela nas semifinais!

12. Revelação: Linda Caicedo (Colômbia)

Linda Caicedo
Caicedo é uma das grandes joias do futebol sul-americano / Gabriel Aponte/GettyImages

Antes mesmo da Copa América começar, apontamos Linda Caicedo como uma das jogadoras jovens a serem acompanhadas de perto neste torneio. Encerrada a fase de grupos, nossa projeção para a atacante de apenas 17 anos se confirmou: arrojada e talentosa, participou diretamente de três gols de sua equipe (um gol + duas assistências).

facebooktwitterreddit