Champions League

O que não te contam sobre o Celtic, adversário da estreia do Real Madrid na Champions League

Lucas Humberto
Rivalidade, tradição, grandes treinadores e pioneirismo no topo do continente... o Celtic vai muito além do que vão te contar por aí
Rivalidade, tradição, grandes treinadores e pioneirismo no topo do continente... o Celtic vai muito além do que vão te contar por aí / Ian MacNicol/GettyImages
facebooktwitterreddit

Davi e Golias, humanos que desafiam deuses, Odisseu passando por quase duas décadas de provações antes de retornar para casa, a caça por Moby Dick... desde os primórdios, a humanidade parece fascinada pelas histórias de superação de meros mortais contra entidades aparentemente invencíveis - sendo elas divindades ou a própria natureza.

No futebol não seria diferente. No meio de tantas potências econômicas e esportivas, são os azarões - ou underdogs - que tornam tudo menos óbvio. E, para alegria de quem torce pelo equilíbrio, o torneio que mais nos fornece grandes enredos nos gramados europeus começa nesta terça-feira, 6: a Champions League.

Seria no mínimo loucura da nossa parte esvaziar o favoritismo de Real Madrid, Manchester City, Liverpool, Paris Saint-Germain e outros gigantes. Mas também não seríamos nós se não tentássemos olhar a briga pelo outro lado. Por isso, hoje escolhemos falar do Celtic. Mais precisamente do que não te contam sobre o time escocês.


Celtic, Rangers e o Old Firm

Todo mundo vai descrever o Celtic do mesmo modo: uma tradicional equipe da Escócia que divide o protagonismo local com o arquirrival Rangers. Nós vamos além. Claro, não seria possível passar pelos principais capítulos da história da agremiação nem que nós quiséssemos. São 133 anos de existência, mais de 50 títulos nacionais e uma gama de ídolos.

Começaremos, então, pelo final. No último sábado, 3, o Celtic aplicou um sonoro 4 a 0 no Rangers, em pleno Parkhead. A partida entre os velhos rivais é chamada de Old Firm. Foi a maior goleada no clássico desde 2018, quando os Bhoys - um dos apelidos do clube - ainda eram comandados por Brendan Rodgers, hoje no Leicester City, da Premier League.

Liel Abada, atacante do Celtic
Com dois gols de Liel Abada, o Celtic venceu o Rangers por 4 a 0 no último Old Firm / Ian MacNicol/GettyImages

Acontece que, quatro anos atrás, o Celtic reinava praticamente sozinho. Isso antes de Steven Gerrard chegar ao Rangers. Entre 2019 e 2021, os rivais dos Celts - outra alcunha que você lerá bastante nas próximas linhas -, venceram seis edições do clássico e empataram outra. A alternância dos dias atuais nada mais é que um reflexo do futebol escocês em seu estado mais puro.

E é por isso que agora vamos voltar ao início. Willie Maley, o primeiro técnico dos Bhoys, dedicou 47 anos da sua carreira ao Celts. Foram dezenas de competições relevantes conquistadas, incluindo seis títulos nacionais consecutivos, entre 1904 e 1910. Ele se aposentou em 1940. Tamanha grandiosidade só seria visto algum tempo depois, mais precisamente em 1965.

Quando Jock Stein chegou, o britânico ainda não era um dos maiores treinadores da história do futebol. Mas ele se tornou. Parte da glória do comandante foi construída dois anos depois do início do seu trabalho. Em 1967, o Celtic venceu simplesmente tudo que disputou: Campeonato Escocês, Copa da Escócia, Copa da Liga, Glasgow Cup e a Copa Europeia - atual Champions League.

Jock Stein, antigo treinador do Celtic
A grandeza das marcas de Jock Stein rendeu uma estátua e um pedaço especial na memória de cada torcedor / Michael Steele/GettyImages

Na grande decisão continental, os Bhoys do capitão Billy McNeill derrotaram a Inter de Milão por 2 a 1, em Lisboa. Os 11 escolhidos por Stein ficaram conhecidos como The Lisbon Lions. À época, os Celts se tornaram a primeira equipe do país a levar a Orelhuda. Até hoje, nenhum outro time escocês chegou à final do torneio europeu.

Quando Barcelona e Glasgow se encontraram em pura ambivalência

Lembra quando nós falamos de provações, certo? Aqui vão algumas. A década de 1990 foi um terror para a torcida. Em 10 anos, três títulos: Copa da Escócia (1995), Copa da Liga Escocesa (1998) e Campeonato Escocês (1998). A rotina de levantar troféus só voltou a fazer parte da rotina dos Celts na virada do milênio, com a chegada do técnico Martin O'Neill.

Martin O'Neil, treinador do Nottingham Forest
O'Neil, hoje no Nottingham Forest, está entre os treinadores mais importantes dos tempos recentes do Celtic / Ian MacNicol/GettyImages

Desde então, Rangers e Celtic se alternam para saber quem leva a taça da Scottish Premiership para casa. Em paralelo, ambos permanecem sonhando com a grandeza continental. Em 1970, os Bhoys chegaram bem próximos novamente, mas, na decisão, perderam o que seria a segunda Orelhuda para o Feyenoord, da Holanda.

E, em 2012, embora longe de chegar aos duelos derradeiros mais importantes, os Celts desafiaram a lógica. Diante do Barcelona de Messi, Xavi, Iniesta e Dani Alves, os escoceses, que finalizaram cinco vezes contra 23 do adversário, venceram por 2 a 1. Davi e Golias, humanos que desafiam deuses, Odisseu superando quase duas décadas de provações, a caça por Moby Dick...

Celtic venceu o Barcelona na Champions League de 2012
Bhoys finalizaram cinco vezes na vitória sobre o Barcelona / Jeff J Mitchell/GettyImages

Vão te contar que o Celtic é líder invicto da liga local. Também vão te falar que a equipe treinada por Ange Postecoglou anotou 25 gols no torneio e só sofreu um. Vão citar Liel Abada, Jota e Matt O'Riley entre os craques do time - e realmente são. Mas se a história dos Celts nos ensina algo, é que prognósticos não passam de dados. A verdadeira história você só encontra dentro das quatro linhas.


Celtic e Real Madrid medem forças nesta terça-feira, 6, a partir das 16h de Brasília, no Parkhead, em Glasgow. A partida é válida pela primeira rodada da fase de grupos da Champions League 2022/23. Aqui, você confere todos os detalhes e informações acerca deste confronto. Apitou, começou...

facebooktwitterreddit