O que fazia de Ronaldo Fenômeno tão diferente dos outros?

Gabriel Gonçalves
AS Photo Archive
AS Photo Archive / Alessandro Sabattini/Getty Images
facebooktwitterreddit

Ronaldo Fenômeno foi um dos maiores atacantes da história do futebol moderno, considerado por muitos como um dos mais habilidosos pós-Pelé. No total, foram 414 gols em 616 jogos, duas Copas do Mundo e troféus conquistados na Espanha, Holanda, Itália e Brasil. Tudo isso ainda convivendo com lesões graves que lhe tiraram pelo menos uns três anos de alto nível no futebol.

Extremamente decisivo, Ronaldo era uma 'máquina' dentro de campo. Então, o que o tornava tão diferente dos outros atacantes? Que habilidades o destacavam durante sua carreira? Veja uma análise completa!

Potência física

RCD Mallorca v Real Madrid
RCD Mallorca v Real Madrid / Stuart Franklin/Getty Images

A principal habilidade de Ronaldo Fenômeno era sua capacidade de alcançar muita velocidade em um curto período de tempo. Suas arrancadas o colocavam muito à frente dos zagueiros na disputa da bola. Além disso, a consistência física forte tornava difícil derrubá-lo para os marcadores.

Recentemente, o jornal 'Marca', da Espanha, colocou o 'vigor físico' de Ronaldo como um dos elementos para a criação do 'atacante perfeito', que também contava com a perna esquerda de Messi e a determinação psicológica de Cristiano.

Força nos chutes

Ronaldo utilizava muito de sua técnica para bater na bola, criando um efeito que tornava o movimento rápido e forte, principalmente na fase final de chegada ao goleiro. Assim, o seu chute 'enganava' o defensor, já que parecia muito mais fraco do que de fato era.

Precisão nas finalizações

Ronaldo tinha uma técnica muito apurada que não o fazia necessitar de tantos chutes para marcar. O Fenômeno conseguia aproveitar bem as poucas chances que tivesse ao longo da partida, batendo na bola muito consciente da trajetória e do direcionamento da finalização. Assim, é normal vê-lo balançado as redes no cantinho, no ângulo ou apenas no contrapé do goleiro.

Consciência de posicionamento

(FILE) Brazilian striker of Corinthians
(FILE) Brazilian striker of Corinthians / MAURICIO LIMA/Getty Images

O ex-atacante não precisava correr na área de um lado para o outro. Pelo contrário, sabia exatamente como se posicionar para receber a bola. Dessa maneira, em sua passagem pelo Corinthians, mesmo com uma forma física ruim, o jogador conseguia se destacar. Exemplo é o jogo contra o São Paulo, pela semi do Paulistão 2009, em que ele arranca e sai na frente do zagueiro Tricolor mesmo acima do peso.

facebooktwitterreddit