Palmeiras

O que explica o déficit de R$ 30 milhões do Palmeiras no primeiro semestre de 2022

Lucas Humberto
Depois da arrecadação recorde em 2021, o Verdão encerrou os primeiros seis meses do ano no vermelho
Depois da arrecadação recorde em 2021, o Verdão encerrou os primeiros seis meses do ano no vermelho / Francois Nel/GettyImages
facebooktwitterreddit

Conhecido pela saúde financeira, o Palmeiras surpreendeu ao encerrar o primeiro semestre de 2022 com um déficit contábil de R$ 30,5 milhões, de acordo com o balancete aprovado pelo Conselho de Orientação e Fiscalização (COF) e divulgado pelo Verdão. A quantia é resultado especialmente do mês de junho, em que o Alviverde teve quase R$ 46 milhões de déficit.

Nos cinco meses anteriores, vale ressaltar, o clube apresentou pouco mais de R$ 15 milhões de superávit. A marca negativa em junho tem relação com a alta das despesas, que chegaram a R$ 91,6 milhões, um recorde em 2022. Foi no sexto mês do ano que a contratação de José López foi fechada. Para tê-lo no elenco, o Verdão vai pagar pouco mais de US$ 7 milhões (R$ 36,5 milhões).

A preocupação da diretoria palmeirense, contudo, não está nos danos contábeis, mas sim na dificuldade do fluxo de caixa devido aos compromissos de curto prazo. Em maio, o Alviverde antecipou valores que teria a receber de parceiros ainda neste ano. Em junho, também antecipou parte das cifras relativas ao contrato de patrocínio da Crefisa em 2023.

É possível explicar os problemas do fluxo de caixa do Verdão por alguns motivos: resquício de gastos de anos anteriores, reflexo da perda de receita na pandemia, além do fato de ter segurado a maior parte do elenco profissional. Para manter os compromissos em dia, portanto, a escolha do clube foi buscar a antecipação sem juros de valores que iria receber depois.

A prioridade do Verdão é esportiva. Não por acaso a agremiação preferiu segurar Gustavo Scarpa até dezembro em vez de tentar vendê-lo na última janela. Por outro lado, a transferência de Gabriel Veron ao Porto promete dar certo alívio nas contas. A quantia de cerca de R$ 43 milhões - referente ao percentual dos paulistas - será lançada em julho.

Palmeiras atravessa problemas econômicos
Verdão espera se recuperar economicamente na Libertadores / DOUGLAS MAGNO/GettyImages

A previsão orçamentária, vale ressaltar, calculava um déficit ao fim do primeiro semestre, mas menor, de R$ 15,6 milhões. Já é certo que uma das metas não será atingida: a da Copa do Brasil. Nos documentos, constava uma previsão de avanço até as quartas de final, porém a equipe caiu nas oitavas. A Copa Libertadores, por outro lado, pode ser uma maneira de amenizar.

Com informações do GE.

Para mais notícias do Palmeiras, clique aqui.

facebooktwitterreddit