Futebol brasileiro

O que animou e o que deixou a torcida do Flamengo impaciente na vitória sobre o Audax pelo Campeonato Carioca

Fabio Utz
Gabigol abriu o placar da partida nesta quinta-feira
Gabigol abriu o placar da partida nesta quinta-feira / Alexandre Neto/Photopress/Gazeta Press
facebooktwitterreddit

Quando se perde um clássico, o que se quer é a rápida recuperação. O Flamengo conseguiu isso nesta quinta-feira, ao ganhar do Audax por 2 a 1 e deixar para trás a derrota no Fla-Flu do final de semana. Porém, a quinta partida do clube no Campeonato Carioca de 2022 nem de longe empolgou, e a torcida desandou a criticar algumas situações.

É fato: muitos torcedores não estão entendendo algumas opções do técnico Paulo Sousa. Muito embora ele precise testar peças para conhecer o que tem à disposição, o rodízio e até mesmo a improvisação de jogadores seguem deixando rubro-negros impacientes. Isso sem contar, claro, que ninguém está satisfeito, por exemplo, com os laterais-direitos disponíveis. Há quem questione qual é o pior entre Isla, Rodinei e Matheuzinho – sim, até o garoto virou alvo.

Porém, em meio a isso e também a atuações pouco convincentes de Arrascaeta e Thiago Maia, há sempre um ídolo para salvar. E ele atente pelo nome de Gabigol. O artilheiro flamenguista foi o autor de um belo gol, ao final do primeiro tempo. Na ponta esquerda e sem ângulo, deu uma pancada cruzada, no alto, para balançar a rede adversária. Porém, a tranquilidade definitiva só veio na etapa final, quando Thomás marcou contra o próprio patrimônio - Hugo Sanches ainda descontou.

A vitória, claro, ameniza a pressão, mas é fato que ainda falta bastante para a equipe, enfim, decolar nas mãos do português. No domingo (19h), o duelo é contra o Nova Iguaçu.

Para mais notícias do Flamengo, clique aqui.

facebooktwitterreddit