O plano do Corinthians para se reequilibrar financeiramente

Antonio Mota
Veja o plano do Corinthians para se reequilibrar financeiramente.
Veja o plano do Corinthians para se reequilibrar financeiramente. / Alexandre Schneider/Getty Images
facebooktwitterreddit

Embora consiga respirar com mais tranquilidade do que no ano passado, quando acumulou salários atrasados, o Corinthians ainda tem muitos problemas financeiros e é neste entrave que o clube tem trabalhado neste começo de 2021. Sob comando de uma nova diretoria, a qual é encabeçada pelo presidente Duílio Monteiro Alves, o Timão tem buscado formas e implementado medidas para aliviar os cofres da Neo Química Arena.   

De acordo com informações do ge, o Alvinegro não tem dinheiro em caixa e no momento tem mais despesas do que receitas previstas para as próximas semanas. Desta forma, o clube paulista esquematizou três frentes para conseguir mudar este cenário: aumentar receitas, cortas gastos e renegociar/alongar dívidas.

O Corinthians criou um plano para se reequilibrar financeiramente.
O Corinthians criou um plano para se reequilibrar financeiramente. / Miguel Schincariol/Getty Images

Conforme o veículo, Duílio Monteiro Alves dividiu estas tarefas entre: José Colagrossi, novo superintendente de comunicação, marketing e inovação do clube, o qual ficou responsável por atrair mais dinheiro para o Corinthians; Wesley Melo, novo diretor financeiro, e Roberto Gavioli, gerente financeiro da equipe desde as eras Andrés Sanchez e Roberto de Andrade, que vão reduzir gastos e renegociar dívidas com credores do time.

Já em atividade, os dirigentes têm avisado a todos os setores do clube que é preciso cortar gastos em 20%, assim como foi previsto no orçamento para este ano. Vale notar que o documento ainda não foi avaliado pelos órgãos competentes da equipe nem foi votado pelo Conselho Deliberativo, mas que, mesmo assim, tem sido um “guia” para o tomar das decisões da nova diretoria.

O clube, porém, enfrenta dificuldades para cumprir tal determinação, em especial porque não é possível demitir boa parte dos funcionários. Com a redução salarial do ano passado, a qual foi necessária por conta da pandemia da Covid-19, os profissionais que sofreram cortes em seus vencimentos ganharam estabilidade nos seus postos.   

Em seu último balanço financeiro, publicado em outubro do ano passado, o Corinthians indicou que tem uma dívida de R$ 920 milhões. Deste total, conforme o documento, R$ 567 deveriam ser pagos em até 12 meses. Ou seja, até os últimos meses deste ano. Porém, o clube não tem como cumprir com este compromisso e, por isso, tem buscado renegociar os débitos com os credores. O Timão quer aumentar os prazos de pagamento.

Da diretoria

Desde que tomou posse, no início do ano, Duílio Monteiro Alves tem mantido o otimismo, mas sempre lembrando da realidade do Corinthians. “A gente vai ter dificuldades, isso não é segredo, não está ‘as mil maravilhas’, mas tem muita coisa a ser feita, novos patrocinadores para anunciar, dinheiro novo para entrar, vamos trabalhar. O torcedor pode ter certeza de que vem muita coisa boa pela frente”, disse.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.

facebooktwitterreddit