Opinião

Novos tempos, velhos hábitos: membros de organizada do Botafogo invadem CT para cobrar elenco

Wéverton Rodrigues
Botafogo está a 5 jogos sem vencer no Brasileirão
Botafogo está a 5 jogos sem vencer no Brasileirão / Wagner Meier/GettyImages
facebooktwitterreddit

O futebol brasileiro segue com um mal costume: envolver violência e repressões em cobranças a jogadores do clube para o qual torce. Assim, novos episódios se sucedem de forma decabida e na direção de manchar a reputação do esporte praticado no país.

De caso recente em que se noticiou que alguns torcedores do Corinthians fizeram ameaças a nomes do atual elenco como Cássio, Gil, Willian e também ao presidente Duílio Monteiro Alves, a integrantes da Torcida Fúria Jovem, do Botafogo, que foram ao CT Lonier cobrar jogadores e comissão técnica, muitos são os episódios em que o excesso se sobressai na hora de pedir mais comprometimento dos atletas que representam as cores da instituição. 

Botafogo v Goias - Brasileirao 2022
Momento do Botafogo é muito ruim / Wagner Meier/GettyImages

Este é, de fato, o momento mais tenso da 'Era John Textor', empresário norte-americano que investiu no Glorioso a fim de o clube se tornar SAF (Sociedade Anônima do Futebol). A invasão de torcedores ao Centro de Treinamento do time alvinegro aconteceu na manhã desta quarta-feira (15), e os invasores chegaram até alguns jogadores que realizavam tratamento no Departamento Médico, a saber, Victor Sá, Diego Gonçalves, Lucas Fernandes, Del Piage e Kayque - a outra parte do elenco só esatará presente na parte da tarde.

A segurança do local, pelo que aparece deixada às moscas, nem sequer dificultou a entrada dos sujeitos e, para que a situação não chegasse num estágio preocupante, a polícia acabou sendo acionada. Os protestos se valem principalmente por causa das más atuações e, como consequência, dos recorrentes maus resultados do time na temporada, sobretudo no Campeonato Brasileiro. São quatro derrotas consecutivas na atual fase. O time entrou na zona de rebaixamento após a derrota, no Engenhão, para o time do Avaí. 

Em vídeo publicado pela própria organizada nas redes sociais, é possível ver a intimidação por parte dos torcedores, ao que uma funcionária do clube até tentou retirá-los do local, obviamente sem sucesso. 

Quando fala-se em excesso, diz-se, sobretudo, de ações e dizeres que extrapolam a esfera do esporte e da civilidade, como os que foram levados pelos torcedores do Botafogo neste episódio em questão. "Salário em dia, porrada em falta" e "elenco de finados" foram as coisas escritas nos cartazes levados ao CT do Fogão por parte dos torcedores que invadiram o local.

A promessa é de que os membros da organizada Torcida Fúria Jovem retornem para novas cobranças a jogadores, comissão técnica e dirigentes ainda na tarde desta quinta. Em casos de repressão e violência, só teremos novos e infelizes capítulos do nosso futebol, como já tantos outros escritos de tantas outras maneiras, mas com um mesmo fim: impor medo e afastar a boa torcida dos estádios.


O próximo compromisso do Botafogo é nesta quinta-feira (16), quando o time carioca recebe o São Paulo no Nilton Santos.

facebooktwitterreddit