Mulheres no jogo: CBF cria programa de incentivo para capacitação feminina na gestão do futebol

Thaisa Moreno
France v Brazil: Round Of 16 - 2019 FIFA Women's World Cup France | Marcio Machado/Getty Images

Se a conquista de direitos, apoio e infraestrutura caminha a passos lentos quando o assunto é campo/bola no futebol feminino, o avanço é ainda mais demorado quando falamos de presença feminina em cargos de gestão no futebol. Para se ter uma ideia, apenas dois dos 16 clubes que disputam a Série A do Brasileirão Feminino são comandados por mulheres, ao passo que o departamento da modalidade na CBF ganhou suas primeiras gestoras mulheres somente neste mês de setembro, com Aline Pellegrino e Duda Luizelli assumindo pastas na entidade.

Tomando consciência de que há cada vez mais mulheres interessadas em se capacitar, mas que as barreiras para elas são muito maiores por conta das décadas de portas fechadas, recusas e proibicionismo, a CBF elaborou o 'Mulheres no Jogo', programa de incentivo para capacitação feminina na gestão do futebol.

Como destaca o Blog Dibradoras, do UOL Esportes, 20% das vagas de todos os cursos da CBF Academy serão reservadas para mulheres, com a entidade distribuindo descontos de 20 a 50% para profissionais que se encaixarem em determinados critérios pré-definidos: professoras da rede pública, ex-jogadoras de clubes ou seleções de futebol/futsal vinculados à CBF e estudantes universitárias são alguns dos grupos 'abraçados' pela iniciativa.

International Friendly"Women: The Netherlands v Brazil"
International Friendly"Women: The Netherlands v Brazil" | ANP Sport/Getty Images

"Esse cenário está mudando ao longo dos anos, temos mais mulheres se capacitando, tanto na gestão como na área técnica, e não somente como treinadoras, mas também como preparadoras físicas, analistas, treinadoras de goleiros/goleiras. Temos atletas ainda em atividade buscando cursos para iniciar um planejamento de transição (...) A CBF quer ajudar nesse processo com os sistema de bolsas, dando oportunidades para que mais mulheres ocupem espaços", pontuou Valesca Araujo, Gerente de Projetos da CBF Academy.